Por victor.duarte

Brasília - A campanha de Eduardo Campos (PSB) à presidência da República, no ano passado, recebeu um grande montante de dinheiro da Petrobras. É o que afirmou Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da estatal, em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) responsável por investigar a empresa, realizado nesta terça-feira, na Câmara dos Deputados.

"O pedido [de recursos] foi feito a mim por um secretário dele [Campos], que hoje ocupa uma vaga no Senado", afirmou Costa, citando o senador Fernando Bezerra responsável pelo pedido. "Ele me disse que seria importante ter ajuda financeira para a campanha. O contato, então, foi feito, e o recurso, repassado para ele."

Paulo Roberto Costa afirma que foram pagos R$ 20 milhões ao PSB, partido de Eduardo CamposAntônio Cruz / Parceiro / Agência Brasil

Morto em agosto do ano passado em um acidente de avião na cidade de Santos, Campos foi um dos citados por Paulo Roberto Costa em depoimentos de delação premiada à Justiça Federal. O ex-diretor afirma que foram pagos R$ 20 milhões ao partido do ex-governador de Pernambuco.

Costa ainda confirmou propina a um outro eminente nome da política nacional, o ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra, morto em 2009. Segundo o ex-diretor, o encontro foi intermediado por Eduardo da Fonte e ocorreu em um hotel no Rio de Janeiro. "Eles me disseram que estava ocorrendo uma CPI sobre a Petrobras e que isso poderia ser minorado ou postergado, mas que precisava ter um ganho, um ajuste financeiro”, disse ele

Você pode gostar