Audiência entre sindicato e Fundação Casa termina sem acordo

Categoria pede aumento de 28,16% e Fundação Casa oferece 6,5% de reajuste; Justiça sugeriu ao governo índice de 9%

Por O Dia

São Paulo - Audiência de conciliação entre representantes da Fundação Casa e do Sitraemfa (sindicato que representa dos trabalhadores da instituição) terminou sem acordo na manhã desta segunda-feira. Os trabalhadores pedem reajuste de 28,16% nos salários.

Representantes do sindicato%2C Fundação Casa e TRT participam de audiência de conciliaçãoDivulgação

Durante a reunião, que durou quase três horas, representantes da Fundação Casa ofereceram reajuste de 6,5%. O TRT-2 (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região) sugeriu ao governo aumento de 9% e não aplicação de qualquer medida punitiva aos trabalhadores, caso a greve seja suspensa imediatamente.

A Fundação Casa se comprometeu a pleitear o índice junto ao Governo o Estado, a fim de que consiga pagar o reajuste já em agosto desde que as atividades sejam retomadas. O TRT também sugeriu 12,5% de reajuste para os vales refeição e alimentação.

O Sitraemfa diz que vai levar as propostas aos trabalhadores durante assembleia agendada para a tarde de hoje. Aline Salvador, secretaria de Politicas Sociais do Simtraenfa, diz que, embora pequena, a proposta de 6,5% da Fundação Casa já é um avanço.

"Para quem não tinha nenhuma proposta, nós avançamos em algo. Tínhamos 0% de reajuste, agora temos algo. Mas ainda não é aquilo que esperamos", disse.

A categoria está em greve desde o último dia 2. De acordo com Aline, 90% dos trabalhadores aderiram. Liminar do TRT determina o funcionamento de 70% do efetivo da Fundação Casa durante a greve. Caso seja descumprida, a multa é de R$100 mil por dia.

 

Últimas de _legado_Brasil