Por victor.duarte

Brasília - Após meses de atuação judicial e extrajudicial do Ministério Público Federal (MPF), um réu estrangeiro preso no Brasil em 2011 foi entregue às autoridades de seu país nesta terça-feira. A transferência temporária e voluntária foi efetivada no Rio de Janeiro e visa uma colaboração para aprofundar investigações sobre uma organização criminosa atuante na Ásia e na Europa.

A transferência temporária de presos está prevista na Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional (“Convenção de Palermo”) e na Convenção contra o Tráfico Ilícito de Entorpecentes e Substâncias Psicotrópicas. Ela também pode se basear em instrumentos bilaterais firmados pelo Brasil.

A procuradora regional da República Cristina Schwansee Romanó e o advogado Carlos Henrique Nascimento Barbosa, representante do Ministério da Justiça, acompanharam desde a saída do preso do presídio onde estava, em Gericinó, até seu deslocamento de helicóptero e embarque no aeroporto internacional do Galeão. Após prestar depoimentos em seu país, o preso voltará para o Rio de Janeiro.

A liberação partiu de uma decisão do desembargador Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) em pedido de cooperação internacional requerido pelo MPF. A transferência só foi possível em virtude da atuação da Secretaria de Cooperação Internacional (SCI) do MPF, sob a gestão do procurador-geral da República Rodrigo Janot.

Você pode gostar