Por bferreira

Rio - Em prisão domiciliar há cinco dias, o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) curte a quase liberdade cruzando o Rio entre seu recém-alugado apartamento, em um condomínio na Barra da Tijuca, e o escritório em que dá expediente, no Centro, sem poder dar nenhum pitaco sobre a política nacional. Proibido de falar publicamente sobre o esquema de corrupção na Petrobras pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, o delator do Mensalão mantém um blog para desancar o governo, o PT, o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma Rousseff.

Condenado a sete anos e 14 dias de prisão, Roberto Jefferson foi libertado no sábado passadoMauro Pimentel / Agência O Dia

Criado em 2006, o blog é mantido em Brasília por duas pessoas que sabem como pensa Roberto Jefferson, mas evitam exagerar no tamanho dos textos para não comprometer o petebista. Entre os temas recentemente debatidos está a indicação do novo ministro do STF, Luiz Edson Fachin.

Mas, no geral, o portal se dedica a criticar medidas do governo e a colocar o dedo na ferida da corrupção, sempre que possível. “É a conta da reeleição, que rima com petrolão!”, diz texto sobre o ajuste fiscal que o governo tenta aprovar.

Quando o tema foi reforma política, disparos contra o PT e a ideia do partido de acabar com o financiamento de campanhas por empresas. “Com doações apenas de eleitores, não dá para pagar o salário de R$ 70 milhões do publicitário João Santana. Sem o marqueteiro-mor, como o PT fará para o povo acreditar nas suas mentiras?”, diz.

Foi pelo blog, por exemplo, que Jefferson anunciou que venderia seu escritório de advocacia no Centro do Rio e postou o número de sua conta bancária, pedindo a amigos depósitos para arrecadar o dinheiro da multa que lhe foi imposta pelo Supremo Tribunal Federal.

O ex-deputado, que entrou para história ao denunciar o esquema de corrupção que colocou líderes do PT na cadeia, é apresentado no blog de forma bem amena. Descrito como “motociclista e cantor amador”, uma das duas imagens do blog é a da capa de seu CD, gravado em 2009, que não virou um fenômeno de vendas na época de seu lançamento.

Petebista planeja disputar as eleições em 2018

Extraoficialmente, Roberto Jefferson avalia como voltar à política. Condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, ele teve o nome gritado ao sair da Casa do Albergado Coronel PM Francisco Spargoli Rocha, em Niterói, onde estava, aumentando os rumores de que poderá surfar na “onda anti-PT” e tentar voltar à cena política em 2018.

Uma das hipóteses é ser candidato em São Paulo. Presidente de honra do PTB, e pai da presidenta da sigla, a deputada federal Cristiane Brasil, o político articula a fusão do seu partido com o DEM, que faz oposição ao governo federal.

Contratado como auxiliar no escritório do advogado Roberto Vitagliano, ele disse no sábado que quer “voltar a advogar” tão logo seja possível.

De casamento marcado para o fim do mês, no dia 29, ele insinuou que sabe sobre o escândalo de corrupção na Petrobras. “Mas não posso falar, se não o Barroso (ministro do STF) me prende”, afirmou aos jornalistas, ao sair da prisão.

Você pode gostar