Líder da máfia italiana é preso no Recife

Pasquale Scotti, de 56 anos, estava foragido desde 1986

Por O Dia

Pasquale Scotti, de 56 anos, estava foragido desde 1986Divulgação/Polícia Federal

Recife - A Polícia Federal, em ação conjunta com a Interpol, prendeu nesta terça-feira, o italiano Pasquale Scotti, de 56 anos, condenado à prisão perpétua pela justiça italiana por ligação com a máfia. Scotti estava foragido desde 1986. 

Segundo informações da Polícia Federal, Scotti é considerado o chefe de uma máfia italiana e teve sua prisão decretada pela justiça em 1991, após condenação pela prática dos crimes de porte ilegal de armas de fogos, resistência, extorsão e mais de vinte homicídios, crimes cometidos entre 1980 e 1983.

Após investigações, a polícia identificou que o foragido utilizava falsa identidade no Brasil, onde possuía, inclusive, cadastro de pessoa física e título de eleitor obtidos ilegalmente e se apresentava como Francisco de Castro Visconti, um empresário na cidade de Recife. A prisão foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal em menos de 24h após o pedido formal da Interpol.

A identificação dele foi possível pela comparação de impressões digitais. O italiano foi preso quando levava seus filhos, dois meninos de 13 e 15 anos, à escola. Com a prisão, as autoridades italianas darão início ao processo de extradição dele para a Itália.

Em comunicado, o ministro do Interior da Itália, Angelino Alfano, comemorou a prisão do mafioso. "Trata-se de um golpe extraordinário graças à polícia italiana e à colaboração das forças de segurança brasileiras, que resultou na prisão de um fugitivo de mais de 30 anos. É um chefe histórico da 'Nuova Camorra Organizatta' (clã da máfia napolitana) e que está entre os mais procurados da lista dos mais perigosos. Reforçar os vínculos de colaboração na investigação entre países aumenta a possibilidade de vitória", finalizou.


Últimas de _legado_Brasil