'Tive sorte. Não me acho herói', diz piloto da aeronave de Huck e Angélica

Osmar Fratini relatou que nunca havia passado por nada parecido antes. Além disso, o profissional agradeceu ao apresentador Luciano por tê-lo ajudado

Por O Dia

Mato Grosso do Sul - O piloto Osmar Fratini, de 52 anos, considera ter feito a aterrissagem mais difícil da carreira neste domingo com a aeronave que transportava o apresentador Luciano Huck, Angélica, os três filhos do casal e duas babás. Frantini, que tem 31 anos de profissão e 8.500 horas de voo, disse em entrevista ao jornal Folha de SP, nesta terça-feira, que não se acha herói. "Tive sorte".

O piloto relatou que estava negociando com o controle de tráfego para pousar o Embraer 820C no aeroporto de Campo Grande (MS). Entretanto, o painel do avião acusou uma pane, um entupimento no filtro de combustível. Nesse momento, o motor esquerdo começou a perder a potência. Fratini disse que começou a voar com o motor direito, mas começou a perder altitude e potência.

Osmar Fratini pilotava o avião do Luciano Huck e Angélica%2C neste domingoReprodução TV Globo

Osmar comentou ainda que trabalha há 15 anos na mesma empresa e isso teria o ajudado a conhecer bem a região. Com isso, ele decidiu planar e pousar em uma fazenda.

"O Luciano [Huck] é dono de avião, ele percebeu o que havia. No início da situação ele chegou em mim e falou: 'Comandante, estamos em monomotor, não?'", relatou ao jornal.

Nesse momento, percebendo a situação, Frantini disse que a apresentadora Angélica começou a gritar desesperadamente dizendo que não poderia perder os filhos.

Leia mais:

Ana Maria Braga chora ao comentar acidente de Luciano Huck e Angélica

Angélica e Luciano Huck deixam hospital em São Paulo

"O Luciano foi um paizão, porque pegou essa parte que eu e o copiloto teríamos que fazer — acalmar os passageiros. Ajudou muito, porque eu me concentrei em fazer meu papel, de voar o avião."

O piloto comentou que não sabia mais o que fazer, pois a aeronave não tinha uma potência segura para voar mais. Ele temia que o avião chegasse a um momento em que atinge a velocidade mínima de controle e cai igual a uma pedra. Sendo assim, ele foi obrigado a pousar na fazenda, aproveitando o resto da velocidade que tinha.

"Os passageiros gritavam o tempo todo. Nunca tinha passado por nada parecido. Tenho que agradecer ao Luciano, ele foi cem porcento."

Além disso, Frantini fez questão de dizer que não se acha um herói. "Não fiz isso sozinho. Teve o José Flávio [copiloto]. Se não fosse ele, não teria conseguido a sorte de salvar todo mundo. O importante foi salvar vidas", finalizou.

Após alta%2C casal deixa o Hospital Albert Einstein%2C em São PauloAg News

Os apresentadores Angélica e Luciano Huck deixaram o hospital Albert Einstein, em São Paulo, na noite desta segunda-feira. Após passarem por exames, Huck teve alta durante a tarde e Angélica foi liberada na noite desta segunda.

De acordo com o hospital, Luciano teve uma "pequena fratura na décima primeira vértebra torácica". O quadro do apresentador é estável e ele não apresenta nenhuma consequência neurológica do acidente.

Galeria: Avião de Angélica e Luciano Huck faz pouso de emergência em MS

Já Angélica, que tinha a suspeita de uma fratura na bacia, tem uma "discreta lesão na musculatura da parede abdominal e pélvica, além de um estiramento muscular na região cervical". Ela também encontra-se estável e sem comprometimento neurológico ou hemodinâmico.

O casal estava com os três filhos e as duas babás em um avião que teve que fazer um pouso de emergência na manhã do último domingo. Eles iam de uma fazenda em Miranda, no Pantanal de Mato Grosso do Sul, para a capital Campo Grande. A 10 minutos do destino, o avião teve problemas na bomba de combustível, ficou sem um motor e com problemas no outro e o piloto Osmar Frattini fez um pouco forçado.

Últimas de _legado_Brasil