Cunha se diz surpreso com placar sobre fim da reeleição em cargos do Executivo

Medida que impede a reeleição para presidente da República, governadores e prefeitos, foi aprovada nesta quarta-feira

Por O Dia

Brasília - Antes de retomar as votações sobre a reforma política, nesta quinta-feira, no plenário da Câmara dos Deputados, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que ficou surpreso com o placar da votação que aprovou o fim da reeleição para cargos do Executivo. A medida que impede a reeleição para presidente da República, governadores e prefeitos, foi aprovada nesta quarta-feira, por 452 votos a 19 e 1 abstenção.

LEIA MAIS: Aprovado o fim da reeleição para presidente, governador e prefeito

“Me surpreendi, sim. O plenário, em um certo tempo, toma consciência”, comentou Cunha, antes voltar ao plenário para retomar a votação da reforma política. O plenário debate nesta quinta a possibilidade de mandatos maiores do que quatro anos para o Executivo, para compensar o fim da reeleição.

Eduardo Cunha se diz surpreso com placar sobre reeleição para cargos do ExecutivoBruno de Lima / Agência O Dia

Cunha defende que os mandatos permaneçam com quatro anos de duração. “Acho que quatro anos é um bom tamanho de mandato. Cinco anos pode ser muito tempo sem eleição. È um debate muito polêmico, é difícil”, disse.

Como a reforma política está sendo tratada em Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o fim da releição precisa ser aprovado em segundo turno na Câmara para depois ser apreciado, também em duas votações, pelo Senado. A proposta aprovada não se aplica aos prefeitos eleitos pela primeira vez em 2012 e aos governadores também eleitos pela primeira vez em 2014, nem a quem os suceder nos seis meses anteriores ao pleito.

Últimas de _legado_Brasil