Por bferreira

Treze dias após ser libertado da cadeia para cumprir o resto da pena em casa, o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) casou ontem pela manhã com Ana Lúcia Novaes, numa cerimônia em que cantou, chorou e fez piada com o Mensalão.

Após a celebração do casamento%2C Jefferson cantou duas músicas para Ana Lúcia. Antes%2C em discurso%2C ele chorou ao lembrar da dedicação da noivaFolhaPress

Durante a celebração do casamento, em Três Rios, no interior fluminense, Jefferson se emocionou ao agradecer a dedicação da noiva. “Ela sofreu ao meu lado as mais duras penas da minha vida. Nunca chorou, nunca se lastimou”, disse o petebista, aos prantos. “Enfrentou com serenidade a CPI do Mensalão, a minha cassação na Câmara dos Deputados, o julgamento e a prisão.”

Em seguida, Jefferson caçou de seu embate contra o ex-ministro José Dirceu, a quem acusou de comandar o suborno de parlamentares em troca de apoio ao governo Lula. “Minha Ana, você desperta em mim os instintos mais deliciosamente primitivos”, discursou Jefferson, arrancando risos da plateia de 300 convidados. Em agosto de 2005, Jefferson disse a Dirceu, no Conselho de Ética da Câmara: “Vossa Excelência desperta em mim os instintos mais primitivos”.

Depois da cerimônia, o ex-deputado cantou duas músicas românticas ao microfone: “Fascinação”, gravada por Elis Regina; e “Dio, como ti amo”, cantada por Gigliola Cinquetti.

Poucos políticos foram convidados para a festa: os deputados Benito Gama (BA) e Campos Machado (SP), ambos do PTB. Segundo amigos, a festa custou cerca de R$ 100 mil. Jefferson não quis confirmar o valor. “Querem botar preço no meu amor, e meu amor não tem preço.”

Desde 16 de maio, o ex-deputado cumpre pena em regime domiciliar. Ele foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal a sete anos e 14 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Você pode gostar