Detentos fazem rebelião e mantêm reféns em presídio de Minas Gerais

Motim começou no fim da manhã no presídio de Governador Valadares e Gate está no local fazendo negociação

Por O Dia

Detentos atearam fogo em colchões no telhado do presídio de Governador Valadares%2C em Minas GeraisDivulgação PM

Minas Gerais - Detentos do presídio de Governador Valadares, no Rio Doce, em Minas Gerias, fazem rebelião desde o início da tarde deste sábado e mantêm reféns no local. Segundo a Polícia Militar, o motim começou durante o horário de visita, quando presos dos blocos B e D quebraram as grades das celas. Ainda de acordo com as primeiras informações, os reféns seriam familiares dos presidiários. 

Segundo reportagem do jornal Estado de Minas, os presos ocupam quatro pavilhões da unidade, que está com quase o triplo da capacidade: a Secretaria de Defesa Social informou que o presídio abriga aproximadamente 800 presos e a capacidade é para apenas 290 detentos.

A negociação está a cargo de policiais militares do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) e homens do sistema prisional. Os agentes também estão no local para conter os detentos e impedir fugas. Alguns chegaram a incendiar colchões no telhado do presídio e jogaram telhas e objetos nos policiais. Parentes dos dententos estão do lado de fora da unidade e aguardam o desfecho da rebelião.

Ainda segundo o Estado de Minas, além do Gate, o juiz de Execuções Penais de Governador Valadares, Tiago Counago Cabral, está no local. O magistrado prometeu aos rebelados analisar a situação dos detentos ainda neste sábado: mais cedo, eles reivindicaram a presença do juiz como condição para continuarem negociando o fim da rebelião.

Últimas de _legado_Brasil