Com chuva, Sistema Cantareira mantém 20,2% de volume armazenado

Os reservatórios, que abastecem a região metropolitana de São Paulo, ainda operam na reserva técnica

Por O Dia

São Paulo - O Sistema Cantareira mantém desde a última sexta-feira o nível de 20,2% de volume armazenado. Entretanto, os reservatórios, que abastecem cerca de 5,2 milhões de pessoas na região metropolitana de São Paulo, ainda operam na reserva técnica. Para ultrapassar as cotas do volume morto e voltar ao índice positivo ainda é necessário acumular 89,1 bilhões de litros.

Até esta segunda-feira, o manancial registrou 11 milímetros de chuva. A média histórica para junho é 58,5 milímetros. A precipitação foi superior à verificada em outros sistemas que abastecem a Grande São Paulo. O Sistema Guarapiranga teve, até o momento, 4,4 milímetros de chuva e opera com 78,6% da capacidade.

Entre os seis sistemas que atendem à região, o Alto Tietê tem o menor volume, 21,6% da capacidade. O Rio Claro opera com 55,3%. O Alto Cotia tem 66,6% da capacidade total e o Rio Grande, 91,7%. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deve entregar nesta segunda-feira as obras de ampliação da capacidade da Estação de Tratamento de Água (ETA) Alto da Boa Vista, o que vai ampliar a produção do Sistema Guarapiranga.

Na semana passada, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) concluiu nova ligação entre duas adutoras na Vila Ema, zona leste de São Paulo. Com a obra, o Sistema Rio Claro poderá abastecer até 200 mil nos bairros da Mooca, de São Mateus, Vila Formosa, da Vila Alpina e de Sapopemba. A modificação faz parte de um conjunto de intervenções que buscam reduzir a dependência do Sistema Cantareira, mais afetado pela crise hídrica do estado.

Últimas de _legado_Brasil