Após ser chamado de 'isso', catador de lixo é indenizado em R$ 7 mil

Lanchonete onde ocorreu o caso foi condenada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG)

Por O Dia

Belo Horizonte - O catador de lixo Roberto Donizete Guedes, 50 anos, vai ser indenizado em R$ 7 mil por dano moral após ser chamado de "isso" e xingado por "cheirar mal", antes de ser expulso de uma lanchonete em Pouso Alegre, cidade localizada a 390 km de Belo Horizonte, em Minas Gerais. A Ka Lanches foi condenada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) nesta quarta-feira pelo caso que aconteceu em 2012. 

A lanchonete deve pagar R$ 4 mil de indenização pelo constrangimento e mais R$ 3 mil pelos três anos que se passaram. "Isso não se faz. É uma questão de dignidade. Ele não poderia ter sido xingado, humilhado e proibido de frequentar a lanchonete, que é um espaço público", disse o advogado.

A decisão da 12ª Câmara Cível do TJ-MG reformou a sentença de primeira instância, da comarca de Pouso Alegre, de 2013, que condenou a lanchonete a pagar a indenização por dano moral de R$ 7.240 a Roberto, além de R$ 3.620 ao publicitário Leonildo Galvão da Rosa, 56, o Léo Galvão, que estava com o catador de lixo no estabelecimento no momento em que teria havido o xingamento e a expulsão. A sentença ainda é cabível de recurso no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Segundo um funcionário da Ka Lanches, que não quis se identificar, ninguém da empresa vai comentar a decisão, informou o portal UOL. 

Últimas de _legado_Brasil