Diretor preso na Lava Jato pede desligamento da Odebrecht

Em comunicado, Alencar disse que pretende se dedicar integralmente à sua defesa

Por O Dia

Brasília - O diretor da empreiteira Odebrecht Alexandrino de Salles Ramos de Alencar, preso na semana passada por envolvimento com a Operação Lava Jato, pediu desligamento da empresa. Em carta enviada à diretoria da empreiteira, Alencar disse que pretende se dedicar integralmente à sua defesa.

“Em virtude dos fatos envolvendo a minha pessoa e vindos a público na sexta-feira, comunico meu afastamento e meu desligamento da empresa, a fim de que possa me dedicar integralmente à minha defesa no procedimento no qual figuro como investigado”, disse Alexandrino em comunicado endereçado à diretoria da empreiteira.

Em pedido enviado ao juiz federal Sérgio Moro, que determinou a prisão, a defesa de Alencar disse que não há mais motivo para que ele continue preso, porque prestou depoimento à Polícia Federal e não ocupa mais o cargo na empreiteira.

A 14ª fase da Lava Jato foi batizada de Erga Omnes, uma expressão latina usada no meio jurídico para indicar que os efeitos de algum ato ou lei atingem todos os indivíduos, é uma referência ao fato de as investigações terem atingido, nesta etapa, as duas maiores empreiteiras do país: Odebrecht e Andrade Gutierrez, que, até agora, não haviam sido alvo da Lava Jato.

Leia mais:

Odebrecht afirma que prisões de executivos foram ilegais

Odebrecht e Andrade Gutierrez lideravam cartel de empreiteiras, dizem PF e MPF

Nova fase da Lava Jato prende executivos de empreiteiras

Com informações da Agência Brasil


Últimas de _legado_Brasil