Ministro da Justiça diz que petistas precisam refletir sobre declarações de Lula

Cardozo afirma que o ex-presidente tem legitimidade para falar do partido. Ministro diz que participa de uma corrente do partido que propõe mudanças

Por O Dia

Brasília - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que as declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, criticando o PT induz a uma reflexão. “Eu, pessoalmente, participo de uma corrente do Partido dos Trabalhadores que já há alguns anos acha que algumas questões no PT teriam que ser reformuladas e, portanto, acho que nosso líder maior, o presidente Lula, ao fazer essa reflexão, induz a todos os petistas e simpatizantes a refletirem sobre isso”. Na conferência Novos Desafios da Democracia, promovida pelo Instituto Lula, o ex-presidente destacou que, atualmente o PT “só pensa em cargo, em emprego”.

Leia mais:

Lula critica PT e prega revolução no partido

'Todos têm direito de criticar, mais ainda o Lula', diz Dilma em evento no Rio

A declaração do ministro foi feita nesta terça-feira, após o lançamento do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) junho 2014. No seminário promovido pelo Instituto Lula, o ex-presidente disse que o PT precisa de nova utopia.

Cardozo disse que o ex-presidente tem legitimidade para falar do partido. “O presidente Lula é um dos grandes líderes da história do Brasil. É um líder com peso nacional e com peso internacional. É absolutamente legítimo que ele professe aquilo que ele acha que é correto”. Para o ministro, a posição de Lula foi de “vanguarda”. “Mais uma vez o presidente Lula toma uma posição de vanguarda e coloca o tema em debate e acho que cabe a todos nós militarmos a respeito disso uma vez que parte não só de um líder que nós temos a consciência mudou este país, mas também que construiu o próprio Partido dos Trabalhadores.”

Ao ser perguntado se concordava com as declarações, o ministro disse que participa de uma corrente do partido que propõe mudanças. “Acho que agora, com essa posição do presidente Lula, isso se reforça e nos leva a ter que pensar sim em correção para o que é necessário”, ressaltou Cardozo.

Últimas de _legado_Brasil