Moradores de ocupação da Brasilândia acampam em frente à prefeitura de SP

Terreno ocupado pertence à Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo

Por O Dia

São Paulo - Moradores de uma ocupação localizada na Rua Augusto do Amaral, Brasilândia, zona norte da capital paulista, estão desde a noite desta quinta-feira acampados em frente ao prédio da prefeitura como forma de protesto contra a retirada das pessoas do local.

O espaço foi ocupado em abril de 2014 por integrantes do movimento Frente de Luta por Moradia (FLM). Os moradores construíram pelo menos 300 barracos de madeira e dez casas de alvenaria, onde vivem 450 famílias, totalizando 800 pessoas.

De acordo com a representante do grupo, Geni Monteiro, a prefeitura tentou retirar os ocupantes da área no último dia 16, mas devido à dificuldade dos moradores em irem para outras moradias, a reintegração de posse foi adiada. Como o terreno pertence à Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (Cohab), o grupo espera conseguir conversar com algum representante da administração municipal. Segundo ela, a ideia é a de que a Prefeitura dê alguma opção para as famílias e adiem a reintegração de posse por mais algum tempo.

“Nós não esperávamos a reintegração de posse, eles avisaram em cima da hora e não deram atendimento para as famílias, tirando todos os direitos das pessoas que moram lá e das crianças que estudam em escolas da redondeza. Devido a uma liminar conseguimos permanecer no terreno por mais algum tempo, mas estamos com nova reintegração de posse marcada para dia 24”, explicou Geni Monteiro.

A prefeitura informou que mantém canal de diálogo com todos os que reivindicam audiências e que deve receber um grupo ao longo da tarde. A representante do grupo, no entanto, informou que a promessa de uma reunião foi condicionada ao desmonte do acampamento. Os manifestantes dizem que vão continuar acampados até serem recebidos.

Últimas de _legado_Brasil