PF deflagra 16ª fase da Lava jato e prende presidente da Eletronuclear

Serão cumpridos dois mandatos de prisão temporária e 23 de busca e apreensão. Também cinco de condução coercitiva

Por O Dia

Rio -  A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira a 16ª Fase da Operação Lava Jato. A operação foi batizada de "Radioatividade". Cerca de 180 Policiais Federais cumprem 30 mandados judiciais, sendo 23 de busca e apreensão, 2 de prisão temporária e 5 de condução coercitiva, nas seguintes cidades: Brasília, Rio de Janeiro, Niterói, São Paulo e Barueri.

Entre os presos, está o diretor-presidente licenciado da Eletronuclear, que é subsidiária da Eletrobrás, o almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, que foi detido no Rio. Ele pediu afastamento de seu cargo em abril deste ano, após denúncias de pagamento de propina a dirigentes da empresa, que foram reveladas na delação premiada de Dalton Avancini.

Ainda no Rio, foi preso o executivo da Andrade Gutierrez, Flávio David Barra.

O foco das investigações são contratos firmados por empresas envolvidas na Operação Lava Jato com a Eletronuclear e as obras da usina nuclear Angra 3. Dentre outros fatos investigados, são objeto de apuração nesta fase, a formação de cartel e o prévio ajustamento de licitações, e o pagamento indevido de vantagens financeiras a empregados da estatal.

Na capital federal, um dos alvos de busca foi o escritório da Eletronuclear no Edifício Via Capital Centro Empresarial, no Setor Bancário Norte.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, os mandatos de busca e apreensão acontecem para Ricardo Ourique Marques, Renato Ribeiro Abreu, Petronio Bras Júnior, Othon Luiz Pinheiro da Silva, Márcia Célia Barbosa da Silva, Flávio David Barra, Fábio Andreani Gandolfo, Luiza Barbosa da Silva Bolognani e Ana Cristina da Silva Toniolo.

Últimas de _legado_Brasil