Presidente da Andrade Gutierrez vira réu na Lava Jato

Além de Otavio Marques de Azevedo, mais 12 pessoas também foram acusadas de participação no esquema de corrupção na Petrobras

Por O Dia

São Paulo - O juiz federal Sérgio Moro aceitou a denúncia contra os executivos da empreiteira Andrade Gutierrez, entre eles o presidente Otávio Marques de Azevedo. Agora, eles são réus sob a acusação de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúncia foi na última sexta-feira pela força-tarefa da Operação Lava Jato, que investiga o pagamento de propina em obras públicas e no esquema de corrupção na Petrobras.

Otavio foi preso na 14ª fase da Lava Jato Reprodução

Outras 12 pessoas, incluindo ex-funcionários da empreiteira, também tiveram a denúncia aceita pela Justiça. Eles se juntam a lobistas como Alberto Youssef e Fernando Soares, o Fernando Baiano, além de ex-diretores da Petrobras, como Paulo Roberto Costa e Renato Duque, que já haviam sido denunciados.
Azevedo, presidente da Andrade Gutierrez, está preso preventivamente em Curitiba, sede das investigações, desde junho.De acordo com a decisão do juiz Moro, há “provas documentais do fluxo financeiro” entre a Andrade Gutierrez e operadores de propina, paga em pelo menos dez contratos da empresa com a Petrobras.

Usando delações premiadas, o Ministério Público Federal (MPF) acusa a empreiteira de ter promovido o pagamento de R$ 243 milhões em vantagens indevidas nesses contratos. Segundo o Ministério, Andrade Gutierrez e Odebrecht atuavam de forma “sofisticada” no esquema. Foram detectadas movimentações de pelo menos R$ 10 milhões, aproximadamente, em operações de lavagem de dinheiro. A empresa nega todas as acusações. O MPF denunciou de novo ontem o ex-diretor da Petrobras Renato Duque e outras quatro pessoas, sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro.

Últimas de _legado_Brasil