Dilma volta a pregar diálogo nacional para saída da crise

Em sua conta pessoal no Twitter, presidenta comenta a reunião que teve com os governadores na semana passada

Por O Dia

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff voltou a defender o diálogo e a necessidade de colaboração entre o governo federal e os governadores dos estados para que o país possa sair da crise e retome o crescimento econômico. O pedido de Dilma foi feito por meio de sua conta pessoal no microblog Twitter, ao comentar o encontro que ela teve com os governadores na semana passada.

Para Dilma, é “obrigação” dela e dos governantes estaduais “dialogar” para conseguir acelerar a saída do Brasil da atual crise econômica que atravessa.

A avaliação de Dilma sobre a reunião ocorreu três dias depois do encontro com governadores de todos os estados. Destacou que, assim com ela, os representantes estaduais também foram eleitos democraticamente para mandatos de quatro anos. A presidenta afirmou em quatro posts no Twitter, que gostou do encontro com os chefes dos Executivos estaduais.

“Gostei muito da reunião com os governadores. Apresentaram posições, sugestões e encaminhamentos importantes para o país. Nós temos em comum a eleição pelo voto popular majoritário e a responsabilidade de cumprir, no mandato de quatro anos, nosso programa de governo”, afirmou a presidenta em sua conta na rede social.

Na reunião que aconteceu na quinta-feira no Palácio da Alvorada, Dilma explicou aos governadores as razões que provocaram a queda da arrecadação da União. Ela propôs aos estados uma parceria para enfrentar problemas e superar crise.

De acordo com a presidenta, houve um “colapso” no preço das commodities e uma “grande desvalorização” na moeda brasileira. Ela lembrou ainda que a crise internacional “continua não esmorecendo”. Apesar de apontar o cenário desfavorável, Dilma disse aos governadores que a crise internacional “não é desculpa para ninguém”.

Ficou combinado na reunião que os governadores vão ajudar o governo a barrar a aprovação de projetos da chamada pauta-bomba, em tramitação no Congresso que, segundo o Executivo, podem resultar em gastos adicionais, comprometendo o ajuste fiscal proposta pelo governo federal.

“É nossa obrigação, mesmo com as diferenças partidárias, dialogar para que o país saia com rapidez de suas dificuldades. Para que volte a crescer, com equilíbrio fiscal, inflação sob controle, gerando empregos e prosperidade para os cidadãos e suas famílias”, avaliou Dilma, no Twitter.

Últimas de _legado_Brasil