Lula defende Dilma e pede: 'Não julguem o governo por seis meses de mandato'

Ex-presidente defendeu gestão de sucessora dizendo que os problemas do país não podem recair apenas sobre ela

Por O Dia

Brasília - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a gestão da presidenta Dilma na noite desta terça-feira, em um discurso na abertura da 5ª Marcha das Margaridas, em Brasília. Lula atribuiu à crise internacional a responsabilidade pelo atual dificuldade econômica enfrentada pelo Brasil e pediu tempo para que Dilma possa superar os problemas. “Não julguem o governo por seis meses de mandato”, declarou o ex-presidente no evento que reuniu trabalhadores agrícolas.

O petista admitiu que a presidenta pode ter cometido erros, mas que os problemas do país não são responsabilidade só dela. "São problemas nossos. É claro que ela pode errar, como eu errei, como qualquer um erra, como vocês erram como mães", disse Lula. "Nem sempre a gente faz as coisas que são aceitas 100% pelos filhos. Sabemos disso, mas quando ela errar, ela é nossa e temos que ajuda-la a consertar para a gente poder fazer esse país ficar muito melhor”, completou.

Ex-presidente Lula participa da abertura da Marcha das Margaridas%2C em BrasíliaAgência Brasil

A questão do desemprego que assusta o país foi abordada pelo ex-presidente em seu discurso. “Muita gente está preocupada em perder o emprego”, disse. “Quando a gente está preocupado, tem que saber o que a gente era quando começamos esta luta, como era esse país há 12 anos, na época dos [atuais] salvadores da pátria”, afirmou.

Lula reiterou em seu discurso que está preparando a retomada de suas viagens pelo país e falou sobre "provocações". “Queria dizer para vocês que há cinco anos deixei a Presidência e tem gente que me encontra e se queixa de que não falo com a imprensa, e não falo porque não é papel de um ex-presidente falar, porque o papel é da presidenta", disse.

"Agora, estou quieto no meu canto, mas todo santo dia tem uma provocação, tem uma coisa e eu estou quieto. Mas quero dizer agora estou dizendo que estou preparando o meu caminho para voltar a viajar por este país”.

Para as camponesas, Lula disse que, além dele, a presidenta Dilma, ministros, deputados e senadores da base aliada viajarão pelo Brasil país para discutir os problemas do país. “A presidenta já começou a viajar, os ministros irão para outro canto, os deputados para outro, os senadores para outro e eu para outro, quero ver se os nossos adversários estão dispostos a andar por este país e discutir este país”.

Bastante aplaudido, o ex-presidente disse ainda que apenas decidiu participar da Marcha das Margaridas quando soube que estaria em um momento distinto da presidenta Dilma. “Estava muito receoso de vir aqui, afinal de contas um ex-presidente da República precisa tomar cuidado no lugar que ele vai. Embora a marcha já seja conhecida do povo brasileiro, achava que era marcha que deveria ter um encontro com a presidenta Dilma. Só quando fiquei sabendo que a Dilma ia participar do encerramento e eu da abertura, decidir vir porque nem eu atrapalho ela, nem ela me atrapalha. E eu vim com orgulho”.

*Com informações da Agência Brasil 

Últimas de _legado_Brasil