Secretário confirma 19 mortes em ataques na Grande São Paulo

Polícia ainda não identificou suspeitos dos assassinatos no municípios de Osasco, Barueri e Itapevi

Por fernanda.macedo

São Paulo - O Secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre de Moraes, confirmou que os ataques ocorridos na noite desta quinta-feira resultaram nas mortes de 19 pessoas nos municípios de Osasco, Barueri e Itapevi, na Região Metropolitana de São Paulo.

A primeira informação apontava que 20 pessoas tinha morrido. Os ataques foram realizados por homens que passaram atirando dentro de um carro. Ainda não há informações da polícia sobre o que poderia ter motivado o atentado.

No município de Barueri, de acordo com a Guarda Civil Municipal (GCM), o corpo de uma vítima foi localizado, às 22h40, na rua Carlos Lacerda. Às 23h45, corpos de dois homens baleados, na rua Irene, foram encontrados nas proximidades de um bar. Uma pessoa baleada na cidade sobreviveu e foi encaminha para o Hospital Geral de Itapevi. De acordo com o hospital, um homem está internado na UTI em estado grave.

Secretário de Segurança confirma 19 mortes em ataques na Grande São PauloReprodução / TV Globo

No 10º Distrito Policial de Osasco, foram registradas, por enquanto, oito mortes. Todos são homens e um deles tem 16 anos. Segundo a Polícia Civil, os crimes ocorreram em seis pontos diferentes da cidade em um período de duas horas.

O primeiro assassinato ocorreu também perto de um bar, na rua Professor Sud Menucci, às 20h50. No local foi morto a tiros o jovem de 16 anos. Cinco minutos depois, um rapaz de 19 anos e outro de 33 anos foram mortos na rua Astor Palamin.

Às 21h29, um homem de 26 anos foi morto, também a tiros, na rua Cuiabá. Outro de 23 anos foi assassinado, na rua Moacir Salles D'Ávila, às 21h31. Outro rapaz de 26 anos foi assassinado, por volta das 21h, na avenida Eurico da Cruz. O último assassinato ocorreu às 22h02, na rua Viantonio de Abril. No local foi encontrado o corpo de outro homem de 26 anos. A Polícia informou que ainda não identificou os suspeitos. Os corpos estão sendo encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Osasco.

De acordo com informações da Secretaria de Saúde de Osasco, a Unidade de Pronto Atendimento da Vila Menck (UPA) recebeu quatro pacientes, um deles, um homem de 23 anos, morreu no local. Uma mulher de 15 anos recebeu primeiros socorros e foi levada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital Central.

Uma mulher de 19 anos também foi levada por parentes para um centro de saúde. Um homem de 32 anos foi encaminhado para o hospital Central. A secretaria informou, ainda, que o Pronto Socorro da Vila Ayrosa atendeu a um homem de 31 anos, que foi ferido com tiro no pé. Ele foi transferido para o Hospital Central.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo formou uma força-tarefa para investigar os crimes, com 50 policiais civis, entre eles 20 investigadores e delegados do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), além de 12 peritos e oito médicos-legistas que farão as necropsias. Os corpos seguem para a capital paulista antes de serem entregues às famílias.

Alexandre de Moraes disse ainda que o policiamento na região de Osasco é suficiente, tanto que a cidade registra taxas criminais baixas. “Não é momento de fazer política em relação a isso”, disse. Segundo o secretário, a capital paulista teve seis chacinas este ano, e três delas foram esclarecidas.

Com informações do Ig e Agência Brasil

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia