PM paulista convoca 32 agentes nas investigações da chacina

Há ainda a hipótese de que os crimes tenham sido cometidos por vingança pelo assassinato de um policial militar

Por O Dia

A Corregedoria da Polícia Militar convocou 32 policiais que trabalhavam em Osasco e Barueri na noite da última quinta-feira, quando 18 pessoas foram mortas e seis ficaram feridas, para colaborar como testemunhas nas investigações sobre a chacina.

Segundo nota da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, esses 32 PMs são do 42º Batalhão, em Osasco, e do 20º Batalhão, em Barueri. A polícia trabalha com a hipótese de que os crimes tenham sido uma vingança pelo assassinato do policial militar Avenilson Pereira de Oliveira na última sexta-feira, em Osasco. Outra possibilidade é retaliação pela morte de um guarda civil, em Barueri, e a polícia também considera uma possível dívida de tráfico como causa dos crimes.

O governo estadual anunciou ontem uma recompensa de R$ 50 mil por informações que ajudem a elucidar a chacina. Para receber o valor, o denunciante deve repassar as informações pelo sistema do Web Denúncia - https://www.webdenuncia.org.br/. A página funciona 24 horas por dia e garante o anonimato do informante.

Nesta segunda-feira, o secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, reuniu-se com os diretores do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) para discutir o caso. Uma Força Tarefa foi montada para apurar as mortes em conjunto com a Corregedoria da Polícia Militar.

Na última sexta-feira, Moraes afirmou que pelo menos seis pessoas e três veículos participaram dos ataques. Na ocasião, ele ainda negou que houvesse toque de recolher na região devido às chacinas e disse que a população poderia ficar tranquila, já que a segurança nas cidades fora reforçada com 43 viaturas e 86 policiais militares, além do policiamento que já existia no local.

Segundo o secretário, vídeo feito por uma testemunha revelou que um dos carros usados nos crimes em Osasco é um Peugeot de cor prata, no qual foi possível identificar a presença de quatro pessoas. A placa do veículo ainda não foi identificada. Esse veículo esteve em, pelo menos, cinco dos oito locais onde houve mortes em Osasco, informou Moraes. Também em Osasco a polícia identificou uma moto, com duas pessoas, que teve participação em três dos oito locais de ataques. A polícia não descarta que mais pessoas tenham participado dos crimes em Osasco.

Em Barueri, a polícia identificou um Sandero, também de cor prata, mas no vídeo obtido pela corporação não foi possível saber quantas pessoas estavam dentro do carro. Cinco projéteis, intactos, foram retirados dos corpos das vítimas e serão analisados pela polícia técnica e científica na investigação dos crimes.

Últimas de _legado_Brasil