Apresentador Ricardo Boechat explica afastamento e revela sofrer de depressão

'Quem cai num quadro desses perde qualquer condição de continuar ativo, de pensar as coisas mais simples. A pessoa morre ficando viva', relatou Boechat

Por O Dia

Rio - O jornalista e apresentador Ricardo Boechat declarou, nesta quinta-feira, por meio de um post no Facebook, que sofre de depressão. Ele estava afastado desde o último dia 19, quando sofreu um surto depressivo e não conseguiu conduzir seu programa matinal na BandNews FM.

"Os pensamentos não fechavam e uma pressão insuportável dava a nítida sensação de que o peito ia explodir. Fiquei completamente desnorteado e achei melhor me refugiar no meu camarim e esperar socorro médico. Quando finalmente minha doce Veruska me levou ao doutor e eu descrevi o que estava sentindo ele foi categórico em dizer que era depressão", relatou ele que acrescentou que "o estado de pânico, a balbúrdia mental e a insegurança eram sintomas clássicos do surto depressivo".

Apresentador Ricardo Boechat revelou sofrer de depressãoReprodução Facebook

"Quem cai num quadro desses perde qualquer condição de continuar ativo, de pensar as coisas mais simples. A pessoa morre ficando viva", disse ele que contou ter recebido várias mensagens de ouvintes que sofrem desse mal".

A declaração de Ricardo Boechat vem em um momento onde os casos de depressão aumentam a cada dia. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão atinge cerca de 7% da população mundial,ou seja, quase 400 milhões de pressoas sofrem com esse fenômeno, que se não tratado de forma adequada pode levar o indivíduo à morte.

"A depressão é muito mais que isso e muito mais séria. É uma aflição tão severa que restringe a capacidade de uma pessoa funcionar plenamente, um abismo mental tão profundo que ninguém pode achar que vai se safar apenas endireitando os ombros ou pensando coisas positivas.

Não, minha gente, essa escuridão da mente e do estado de espírito é mais do que um simples desânimo. É um desequilíbrio da química cerebral, algo tão físico quanto uma fratura óssea, ou um tumor maligno. É um fenômeno que atinge todo mundo: quem perde um ente querido, mães jovens com depressão pós-parto, estudantes ansiosos, militares veteranos, idosos de uma maneira geral e pais preocupados com o sustento da família.

A depressão não escolhe vítimas por seu grau de instrução ou situação econômica. Castiga sem piedade e da mesma forma pobres e ricos, anônimos e famosos", alertou o apresentador.


Depressão é a doença mais impactante, segundo OMS

Em 2014, um estudo apresentado pelo diretor do Instituto de Psicologia Clínica e Psicoterapia da Technishe Universitaet de Dresden, na Alemanha, Hans-Ulrich Wittchen mostra que os custos diretos e indiretos com a doença ultrapassaram R$ 2 trilhões no mundo todo. Os males da mente são os mais prejudiciais e limitantes entre todos os grupos de doenças. A depressão, individualmente, é a mais impactante, de acordo com dados da OMS, e atinge principalmente as mulheres, especialmente em seu período fértil e mais produtivo. As consequências são as tranmissões de comportamentos depressivos para os filhos.

De acordo com pesquisa ecomendada pelo laboratório Eurofarma, a principal causa da depressão citada tanto por doentes como por familiares são os problemas de saúde. Questões familiares foram apontadas como motivo da depressão por cerca de 28% dos doentes.

Um vídeo postado em 2013 produzido pela World Health Organization (WHO) intitulado "I have a black dog, his name was depression" explica a depressão como um grande cachorro negro e como esse mal vai consumindo a vida do doente de forma progressiva e devastadora.

As imagens alertam para a prevenção da doença e para a percepção de sinais que o paciente emite antes de ser diagnosticado com depressão. "Procurar ajuda é o primeiro e significativo passo para a recuperação", diz a descrição do vídeo.


Últimas de _legado_Brasil