Por gabriela.mattos

Brasília - A filosofia de vida preconizada na música “Beijinho no Ombro” da funkeira Valesca Popozuda chegou ao Congresso Nacional graças ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Ao pedir pedir “sensatez e serenidade” para que o país possa solucionar a crise econômica, Renan citou um trecho da famosa música da cantora.

Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que a crise vivida pelo Brasil 'não é apocalíptica', mas é 'preocupante'Agência Brasil

“Tiro, porrada e bomba, para utilizar uma expressão tão contemporânea da música brasileira, não reerguem nações e espalham ruínas que, lamentavelmente, só ampliam os escombros. Nós não seremos sabotadores da nação e nem agentes de mais instabilidade”, afirmou Renan, ao participar da instalação de comissão especial que irá analisar os projetos da chamada Agenda Brasil.

“Não somos e nem seremos narradores impessoais desse precipício. A crise atual não é apocalíptica. Mas exige de todos sensatez e serenidade em busca de saídas”, argumentou o peemedebista.

Segundo Renan, a Agenda Brasil tem como principal função fazer com que o país não perca seu grau de investimento. Ele defendeu uma participação suprapartidária e disse que “os ciclos de maior gravidade não permitem a omissão notadamente dos homens públicos”.

Para Renan, a agenda não deve ser apenas “uma carta de intenções”. “[...]A economia precisa andar, desamarrar seus pés. Quando ela anda, cresce o emprego, cresce o consumo, cresce o investimento”, disse. Ele também negou que tenha se aproximado do governo ao propor a pauta da Agenda Brasil. “Não sou governista e nem oposicionista. Sou presidente de uma instituição”, afirmou.

Você pode gostar