Internautas abrem campanha: ‘Cadê as contas, Cunha?’

Facebook de peemedebista é inundado

Por O Dia

Rio - Em silêncio quando perguntado pela imprensa e parlamentares sobre suas contas bancárias na Suíça, a vida do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) também anda bem complicada nas redes sociais. Uma espécie de corrente criada no Facebook tem aproveitado qualquer postagem do peemedebista para indagá-lo sobre suas movimentações bancárias no paraíso fiscal europeu. Até o ex-candidato ao governo do Rio pelo Psol Tarcísio Motta de Carvalho entrou na onda e alfinetou o parlamentar, que segue sem se pronunciar sobre o assunto inclusive nas redes sociais.

Ontem, o procurador-geral da República Rodrigo Janot confirmou a existência de contas de Cunha e familiares na Suíça. A confirmação se deu em ofício encaminhado ao Psol, que usou o texto para embasar representação contra Cunha no Conselho de Ética do Legislativo.

Um relatório do Ministério Público da Suíça mostrou que Eduardo Cunha fechou duas de suas quatro contas bancárias no banco Julius Baer em abril de 2014, um mês depois do início da Operação Lava Jato, responsável pela investigação do escândalo de corrupção na Petrobras e que tem o peemedebista como um dos investigados.

As outras duas contas foram bloqueadas em abril deste ano com U$ 2,5 milhões de saldo. Na Suíça, ele é investigado por lavagem de dinheiro e corrupção.

As contas foram abertas em 2008 usando nomes de empresas de fachada cujos beneficiários são Cunha e sua esposa, a jornalista Cláudia Cruz. O relatório menciona o endereço do deputado e detalha as movimentações bancárias.

Últimas de _legado_Brasil