Por clarissa.sardenberg
Publicado 02/12/2015 11:58 | Atualizado 02/12/2015 12:52

São Paulo - Estudantes que protestavam na manhã desta quarta-feira contra a reorganização escolar em São Paulo foram duramente repreendidos pela Polícia Militar na Avenida Doutor Arnaldo, na capital paulista. Após o confronto, ao menos quatro adolescentes foram detidos pela PM. Um deles chegou a ser arrastado pelo pescoço pela PM. A reorganização faz parte de um projeto da gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Saiba mais: Policiais e alunos entram em confronto em São Paulo

Estudante que protestava contra reorganização escolar em SP foi arrastado pela PM e depois detidoReprodução Internet

Nas redes sociais, o clima é de revolta."Até quando a população de São Paulo suportará a truculência? São estudantes sendo massacrados sem qualquer disfarce à luz do dia!", comentou um internauta no Twitter.

Dois adolescentes de 16 anos, levados para a delegacia, reclamaram da truculência policial. Um deles é aluno da Escola Estadual Fernão Dias Paes e foi ferido no ombro. Segundo os alunos, quando um contingente maior de policiais chegou, partiu para a agressão com cacetetes.

“A gente estava muito pacífico, muito tranquilo. Os policiais vieram e pegaram a cadeira que a gente estava sentado. Depois foi piorando porque ninguém queria sair. Falaram que não podia bloquear tudo”, disse Willian Dias de Andrade Silva, estudante da Escola Romeu de Moraes, em entrevista à "Agência Brasil".

Estudantes que lutam cotra reorganização escolar em SP usaram cadeiras para interditar viaReprodução Twitter %40cmi_saopaulo

A manifestação que ocupou duas das quatro faixas da avenida começou por volta das 7h45, segundo o jornal "O Estado de S. Paulo". De acordo com a PM, foi necessário usar a força pois os alunos não queriam liberar a via. Os adolescentes foram encaminhados para a 23° DP (Perdizes).

Quatro estudantes detidos foram liberados na madrugada desta quarta-feira depois de participarem de um protesto que interditou a Avenida 9 de Julho nesta terça, na região central de São Paulo. A PM informou que “precisou do uso da força” e, com isso, foram usadas bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo contra os adolescentes. 

O governo de São Paulo publicou nesta terça-feira, no Diário Oficial do estado, o decreto que autoriza a transferência de professores para a implementação da reorganização escolar, que fechará 93 unidades de ensino em todo o estado e afetará 311 mil alunos. O objetivo é separar as escolas por ciclos, entre os anos iniciais e finais dos ensinos fundamental e médio.

Você pode gostar