Polícia Federal combate crimes cibernéticos no DF e em Goiás

De acordo com a PF, um dos alvos da operação é uma quadrilha especializada em fraudes bancárias

Por O Dia

Brasília - A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira a Operação Ufrap, com o objetivo de combater crimes cibernéticos na região do Distrito Federal (DF) e de Goiás. Estão sendo cumpridos oito mandados de busca e apreensão a suspeitos de fraudes bancárias, disseminação e armazenamento de pornografia infantil e invasão de sistema de votação.

As buscas estão sendo feitas em Taguatinga, Águas Claras e no Lago Norte, regiões administrativas do DF, e nas regiões de Valparaíso, Luziânia, Rialma e Goiânia, cidades do estado de Goiás. A operação busca desarticular quadrilhas especializadas em fraudes bancárias, em que os integrantes falsificavam documentos, conseguiam a liberação de senha de internet e invadiam contas, transferindo valores para outras contas em diferentes localidades.

Uma invasão ao sistema de votação também está sendo investigada, quando foi identificada fraude nas eleições do Conselho Federal de Psicologia. O caso ocorreu em agosto de 2013. Um dos candidatos que concorriam ao cargo de presidente está sendo investigado. Segundo a PF, o suspeito votou nele mesmo de manhã e, em seguida, utilizou documentação falsa para alteração de votos de outros membros do conselho.

Além dos mandados cumpridos por crimes cibernéticos, a PF faz, na região de Valparaíso de Goiás, a busca de um suspeito investigado por se fazer passar por policial. Foram apreendidos vários bens que tinham o símbolo da Polícia Federal e que eram utilizados nas ações. A pena prevista para o crime de uso indevido de símbolos da Administração Pública é 2 a 6 anos de reclusão. O nome da operação, Ufrap, é a junção dos vários tipos de crime - uso indevido do símbolo da PF, fraude bancária e pornografia infantil.

Últimas de _legado_Brasil