Por gabriela.mattos

Brasília - O Superior Tribunal de Justiça rejeitou nesta terça-feira pedido de habeas corpus para o empresário Marcelo Odebrecht, ex-presidente da construtora Odebrecht, que seguirá preso no âmbito da operação Lava Jato, que investiga um esquema bilionário de corrupção na Petrobras.


Odebrecht, que está preso desde junho e é acusado dos crimes de organização criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro em um esquema de pagamento de propina envolvendo a estatal, teve o pedido de liberdade negado pela 5ª Turma do STJ.


STJ nega habeas corpus e mantém prisão de Marcelo OdebrechtReprodução

Em seu voto pela rejeição da concessão de habeas corpus a Odebrecht, o ministro Jorge Mussi disse haver fundamentos para manter o empresário preso como forma de "garantia da ordem pública", e disse que há risco de Odebrecht, em liberdade, "reiterar em prática criminosa".


"Os brasileiros não aguentam mais ser apunhalados pelas costas. Basta! Os limites da tolerância e da paciência foram há muito esgotados”, disse o ministro em seu voto, de acordo com o tribunal.


O voto de Mussi foi acompanhado pelos ministros Felix Fischer, Reynaldo Soares da Fonseca e Gurgel de Faria. O relator do caso, ministro Ribeiro Dantas, havia votado pela concessão de habeas corpus a Odebrecht e pela substituição de sua detenção pela prisão domiciliar, uso de tornozeleira eletrônica e afastamento das atividades empresariais.

Você pode gostar