Presidente e diretor da Samarco pedem afastamento após serem indiciados pela PF

Pedido de licença foi feito pelos executivos para que possam dedicar às suas defesas. Afastamento foi recebido e acado pela empresa

Por O Dia

Minas Gerais - Após serem denunciados pela Polícia Federal por crimes ambientais, causados pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, o presidente da Samarco, Ricardo Vescovi, e o diretor de Operações, Kleber Terra, pediram afatamento de suas funções na empresa. O pedido de licença foi feito pelos executivos para que eles possam dedicar às suas defesas. A decisão dos funcionários foi recebida e acada pela empresa em reunião do Conselho de Administração, realizada nessa quarta-feira.

Em comunicado, a Samarco afirmou que “todos os compromissos já assumidos e as ações em curso serão rigorosamente mantidos". Ainda de acordo com a nota, "o afastamento é temporário", no entanto a empresa não divulgou nenhuma previsão de retorno dos executivos.

Presidente da Samarco%2C Ricardo Vescovi Divulgação

Até a volta dos respectivos funcionários, a função de presidente será assumida pelo atual diretor comercial, Roberto Lúcio de Carvalho. Já a função de diretor de Operações será exercida interinamente pelo diretor de Projetos e Ecoeficiência, Maury de Souza Junior, que passa a acumular as funções. 

Na última semana a Polícia Federal indiciou, além de Ricardo Vescovi e Kleber Terra, a gerente de Geotecnia, o gerente-geral de Projetos e responsável técnico pela barragem de Fundão, o gerente-geral de Operações, e o coordenador de monitoramento das barragens. Também foram indiciados pela PF, a Vale, uma das controladoras da Samarco, e a empresa Vogbr, que atestou a estabilidade das barragens de Germano, Fundão e Santarém.

O rompimento da barragem da Samarco aconteceu em novembro do ano passado, despejando rejeitos de mineração em vários municípios de Minas e do Espírito Santo, deixando 17 mortos e dois desaparecidos. A lama atingiu o leito do Rio Doce, chegando até o mar do Espírito Santo.

Últimas de _legado_Brasil