Por felipe.martins

Rio - Em depoimento ao juiz Sergio Moro, da Operação Lava Jato, o lobista Milton Pascowitch afirmou ter pago despesas pessoais do ex-ministro José Dirceu e de parentes dele com dinheiro recolhido de contratos de fornecedores prestadores de serviços da Petrobras. Segundo Pascowitch, Dirceu recebia R$ 96 mil por mês, oriundos de recursos desviados da estatal. Ao todo, ele teria embolsado R$ 11,5 milhões.

O dinheiro de Pascowitch foi utilizado para pagar parte de um jatinho, despesas de táxi aéreo e reformas em imóveis do ex-ministro, do seu irmão e até para a compra de um apartamento para a filha de Dirceu, Camila Ramos de Oliveira e Silva. O imóvel teria custado R$500 mil, de acordo com o lobista.

Segundo o ‘Jornal Nacional’, Pascowitch teria apresentado provas documentais contra o ex-ministro. Roberto Podval, advogado de Dirceu, nega que seu cliente tenha recebido propinas do esquema da Petrobras.

Você pode gostar