Ministério Público intima Lula a depor, diz jornal

Eles deverão ser ouvidos pelo promotor Cássio Conserino no dia 16 de fevereiro

Por O Dia

São Paulo - O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) intimou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a esposa dele, Marisa Letícia, para prestar depoimento, como investigados, no dia 17 de fevereiro sobre o apartamento tríplex, no Condomínio Solaris, no Guarujá, no litoral paulista. È a primeira vez que o casal é intimado na condição de investigado.

Também serão ouvidos o empreiteiro José Adelmário e o engenheiro Igor Pontes, ligados à construtora OAS, responsável pelo empreendimento. O imóvel, é alvo de investigações da 22ª fase da Lava Jato, a Operação Triplo X, deflagrada no dia 27.

Ministério Público intima Lula a depor, diz jornalDivulgação / Instituto Lula

A suspeita do Ministério Público é que proprietários de apartamentos do condomínio usaram o nome de terceiros para ocultar patrimônio. Os investigadores chegaram a essa conclusão após receberem as matrículas dos imóveis registradas no cartório da cidade.
O promotor Cássio Conserino diz ter indícios de que houve tentativa de ocultar a identidade do dono do tríplex, que seria do ex-presidente, o que pode caracterizar crime de lavagem de dinheiro.

O Condomínio Solaris começou a ser construído pela Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), presidida entre 2005 e 2010 pelo ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, preso em abril do ano passado na Lava Jato. O empreendimento foi repassado para a empreiteira OAS em 2009, em função de uma crise financeira da cooperativa. Para os investigadores, há indícios de que as aquisições dos imóveis ocorreram por meio de repasse de propina entre os envolvidos nos desvios de recursos da Petrobras, entre eles a OAS.

O Instituto Lula informou, por meio de nota, que as suspeitas do MP são infundadas e nega que o ex-presidente a seja donos do apartamento. “São levianas as acusações de suposta ocultação de patrimônio por parte do ex-presidente ou seus familiares”, diz o texto. Acrescenta que Lula e Marisa “nunca esconderam que adquiriram, em 2005, uma cota da Bancoop, que foi declarada no imposto de renda”. O advogado de Lula diz que ele vendeu a cota antes da entrega do empreendimento. A OAS ainda não tem um posicionamento sobre o tema.

Últimas de _legado_Brasil