Sucesso nas Compras: Como lidar com os gastos com o desemprego

Uma das recomendações é controlar todos os gastos diários para poder enfrentar o período sem trabalho

Por O Dia

Rio - Durante a nossa vida, seja ela social, familiar ou profissional, as mudanças são situações constantes e temos que aprender a conviver com elas. Quando dependemos exclusivamente de certas posições, como um emprego estabilizado, por exemplo, e de uma hora para outra perdemos isto, a coisa muda de figura.

As expectativas aumentam, a insegurança e o medo também. Isto é normal, e o que temos que fazer e ter calma e atuar de forma racional para mudar o que necessita ser mudado. As principais atitudes que recomendo são: em primeiro lugar, preparar-se para conseguir uma recolocação e, em segundo lugar, administrar e controlar todos os gastos diários para poder enfrentar o período de desemprego. Um fator chave nessa hora é se manter otimista. 

PERGUNTA E RESPOSTA

“Depois de 15 anos numa empresa fiquei desempregado em outubro do ano passado. Recebi minha rescisão e estou no seguro desemprego. Agora com 47 anos de idade, casado e com 2 filhos estou sem perspectivas de ser recolocado nos próximos meses. Pode me dar umas dicas? Tem horas em que não sei o que fazer? ”, Josué Ribeiro, Nilópolis

Quando estamos preocupados com alguma coisa nossa mente não desliga. Geralmente ficamos focados naquele problema , por horas, dias e até semanas. O desemprego é uma situação muito importante mas não pode deixá-lo preocupado a ponto de desestabilizá-lo psicologicamente. Algumas atitudes você pode tomar para enfrentar este desafio com mais segurança.

Em primeiro lugar pense em você como um produto, cuide deste “produto” para ser “vendido”. Aperfeiçoe seu currículo, se inscreva em processos seletivos e desenvolva suas habilidades participando de cursos que incrementem sua formação profissional. Mantenha-se atualizado com assuntos de sua área de atuação profissional. Isso enriquece e sempre aparece novas ideias.

“Esteja Presente !”. Atualmente com as redes sociais, quem não estiver participando não é reconhecido. Mas cuidado ! “Foco” naquilo realmente importa para te reforçar profissionalmente e não as utilize somente para lazer.

Em segundo lugar, administre seu orçamento familiar, pois agora, mais que nunca, cada centavo vale. Procure controlar ao máximo o que você recebeu de rescisão e seu seguro desemprego. Faça uma reavaliação das necessidades de gastos de sua família, suspenda ou corte aquilo que no momento é dispensável.

Envolva e “comprometa” todos de sua família, principalmente as crianças para que desde já eles entendam as possíveis meandros que a vida de adulto tem.

Faça ou acompanhe a sua esposa nas compras habituais de sua casa, procure se iterar dos produtos que sua família consome e as possíveis adequações e caso de substituir por produtos com uma relação custo x benefício. Faça o mesmo controle com os gastos fixos, luz, água, gás etc.

Com um controle deste, você poderá , além de economizar para garantir menos gasto neste período que você está desempregado, ter uma maior visão de controle de recursos futuros, com ou sem crise. Aja sempre de maneira positiva, pensando nas oportunidades que aparecerão. O ‘otimismo contagia” e dá mais suporte emocional para que tudo ocorra de uma maneira mais rápida.

Marco Quintarelli é consultor do Grupo AZO

Últimas de _legado_Brasil