PMs podem ter executado dez por vingança no Paraná

Assassinatos seriam em represália por morte de policial

Por O Dia

Londrina - A Polícia Miliar do Paraná não descarta a participação de PMs nos assassinatos de dez pessoas em Londrina, norte do estado, entre a noite de sexta-feira e a madrugada deste sábado. O comandante-geral da corporação, coronel Mauricio Tortato, afirmou que essa é uma das linhas de investigação. Os crimes seriam vingança contra a morte de um policial. Outras 16 pessoas foram baleadas.

As execuções ocorreram depois da morte de um soldado do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) num intervalo de seis horas. Cristiano Luiz Botino, 33 anos, foi baleado dentro do próprio carro, quando voltava para casa. Este foi o segundo atentado registrado contra agentes públicos nesta semana em Londrina. O ataque, segundo fontes da Segurança Pública, teria autoria de membros da facção Primeiro Comando da Capital (PCC).

Em reação à morte do policial, minutos depois, também na Zona Norte da cidade, cinco jovens foram baleados dentro de uma mesma casa. Três morreram na hora. Os assassinatos também foram registrados em três municípios da Região Metropolitana de Londrina.

O Instituto Médico Legal recebeu, ao final da noite, 12 corpos. Os hospitais de plantão atenderam outros 16 baleados. O delegado-chefe da 10ª Subdivisão Policial de Londrina, Sebastião Ramos, não se pronunciou oficialmente. A série de execuções gerou reação imediata. Interceptações telefônicas de fontes policiais mostram que o PCC reagirá. Um membro da facção considera as mortes “deselegância extrema contra nossos irmãos” e ordena “salve geral para matar polícia”.

Últimas de _legado_Brasil