{ "@context": "https://schema.org", "@type": "WebSite", "url": "https://odia.ig.com.br", "potentialAction": { "@type": "SearchAction", "target": "https://odia.ig.com.br/index.php?id=/busca/index.php&origin=search&q={string}", "query-input": "required name=string" } }
Matéria Salva!

Agora você pode ler esta notícia off-line

Matéria removida da seção links salvos
Por rafael.souza
Brasília - A presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei 13.256/2016, que altera trechos do novo Código de Processo Civil (CPC) para disciplinar o processo e o julgamento do recurso extraordinário e do recurso especial.
Entre as mudanças, o texto sancionado nesta sexta-feira, restabelece a adoção do chamado duplo juízo de admissibilidade dos recursos especiais, dirigidos ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), e dos extraordinários, ao Supremo Tribunal Federal (STF).
Publicidade
Com isso, a avaliação da admissibilidade, pela qual é verificado se estão sendo atendidos requisitos necessários para a recepção dos recursos, deve ser feita primeiro pelos tribunais de segunda instância, para então seguir para os tribunais superiores. O texto anterior do novo CPC eliminava essa etapa prévia.
A norma fez modificações em 13 artigos do texto original do novo CPC. A lei sancionada está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira.
Publicidade
Você pode gostar
mais notícias