Por thiago.antunes
São Paulo - Depois da polêmica criada nas redes sociais, a Polícia Militar de São Paulo retirou, nesta quinta-feira, o post com foto de uma bebê fardada com algemas e cassetete publicada no Facebook e no Twitter oficial da corporação. A assessoria de imprensa da PM explicou que a decisão de retirar a foto ocorreu por causa de “mal-entendido”.
A imagem publicada na última terça-feira com a mensagem “Boa Noite” e a hashtag #podeconfiarpmesp recebeu críticas de seguidores do Twitter, que condenaram o tuíte com comentários como “só faltou colocar um revólver na mão da criança. #semnocao”.
Foto de bebê publicada no Twitter e Facebook da PM de São PauloReprodução

Já na página do Facebook, a maioria dos comentários foi favorável à publicação da foto: “A essa pode me prender kkkkk linda foto parabéns”, “Boa noite Guerreiros!!! Muito bacana essa pequena PM, já tem perfil de policial !!!”.

Publicidade
Segundo a PM, as fotos publicadas nas redes sociais são enviadas por internautas. Em nota, a assessoria de imprensa argumentou também que a farda simboliza, entre outras coisas, “honra” e “civismo”. “A farda também simboliza o juramento, o sacrifício, muitas vezes da própria vida, representado pelos 7 policiais militares assassinados em 35 dias nesse ano, em prol do bem comum, ato nobre nos países mais desenvolvidos, pois é símbolo de orgulho para tais sociedades”, afirmou a nota da PM.
Para Ariel de Castro Alves, coordenador estadual do Movimento Nacional de Direitos Humanos, a exibição da imagem viola o artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que prevê pena de seis meses a dois anos para quem “submeter criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento”. Ariel disse que vai pedir ao setor de Direitos Humanos do Ministério Público de São Paulo que analise o caso.