Por bferreira

Rio - Com os sucessivos adiamentos do governo em colocar a aviação de caça brasileira definitivamente no Século 21, aumenta a sensação de descaso em relação à modernização da Força Aérea Brasileira (FAB) nas bases do país. Ainda este ano, os 12 jatos F-2000 (Mirage) serão aposentados e, pelo silêncio do Planalto em relação ao projeto FX-2, não se sabe quando chegarão ao país os novos caças de primeira linha.

Enquanto o Ministério da Defesa protela a compra dos aviões que colocariam o Brasil em patamar mais elevado no quesito segurança aérea, outras aeronaves, além dos já esquálidos Mirage, começam a preocupar os oficiais. Com a vida útil quase no fim, os caças F-5, hoje em uso pela FAB, já apresentam deteriorações na estrutura, o que pode acelerar o processo de aposentadoria dos equipamentos, importantes para o país.

PREPARAÇÃO AMEAÇADA

Fontes da Coluna afirmam que a falta de aviões mais modernos tem atrapalhado a formação de novos pilotos que precisam fazer a transição para aeronaves mais potentes.

Você pode gostar