Programa reduz valor do financiamento de móveis pela metade

Taxas de juros têm diferença de 107,89%

Por O Dia

Rio - O beneficiário do Minha Casa Melhor, lançado na última semana pelo governo federal, vai financiar eletrodomésticos e móveis que terão metade do custo final se comparado às condições do comércio varejista devido aos juros de 0,41% ao mês (5% ao ano) oferecidos pelo programa.

As taxas do mercado, por sua vez, são de 4,08% ao mês (61,59% ao ano). A diferença entre um e outro é de 107,89%, segundo estudo da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

Em simulação da associação, o preço de uma TV digital de R$ 1.400 daria salto para R$ 3.213,12, com 48 parcelas mensais de R$66,94 no comércio. Já no financiamento do Minha Casa Melhor, o produto custaria pouco mais que seu preço original: R$1.545,12, com 48 parcelas mensais de R$ 32,19.

Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor da Anefac, ressalta: “Quem vai fazer financiamento no comércio, comparando o que conseguiria pelo programa, pagaria praticamente 108% a mais pelo produto. Nenhuma linha de crédito tem juros tão baixos”.

O estudo da Anefac detalha o quão vantajoso é comprar eletrodomésticos e móveis pelo programa. O financiamento é destinado aos mutuários do Minha Casa, Minha Vida.

Últimas de _legado_Economia