Por bferreira

São Paulo - A Polícia Federal (PF) desarticulou ontem em São Paulo uma quadrilha e prendeu cinco acusados de fraudes contra o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). De acordo com a PF, em apenas quatro meses o grupo teria desviado cerca de R$ 1,5 milhão das contas da Previdência Social.

Das cinco pessoas presas, quatro são servidores públicos. Na casa de um dos acusados de intermediar as fraudes, a polícia apreendeu R$32 mil em dinheiro.

Conforme o instituto, os crimes seguiam um padrão: um segurado que estava fora do sistema reingressava e pagava quatro contribuições. Depois solicitava um benefício por doença, que era prorrogado até que fosse concedida a aposentadoria por invalidez pelo INSS.

O grupo, segundo a PF, agia com a ajuda de escritórios de advocacia, intermediários autônomos, profissionais da área médica e servidores que trabalhavam em agências da Previdência Social.

O INSS acredita que a organização criminosa atuava há pelo menos quatro anos. Os presos vão responder pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha, falsidade documental, corrupção ativa e corrupção passiva.

Você pode gostar