Por bferreira

Rio - Entra em pauta mês que vem, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), o Projeto de Lei 1.524/2012 que determina a criação de recesso de duas semanas em julho para professores de todas as escolas públicas e privadas do estado. De autoria do deputado Robson Leite (PT), o PL vai repercutir diretamente na rede municipal do Rio, que sempre concedeu a última semana de julho para descanso dos docentes.

Este ano, em especial, a Secretaria Municipal de Educação antecipou o recesso que começa hoje, devido à Jornada Mundial da Juventude que acontece entre os dias 23 e 28 deste mês.

De acordo com Alex Trentino, coordenador do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio (Sepe-RJ) a iniciativa colocaria o município no mesmo patamar de cidades como Duque de Caxias, São Gonçalo e Niterói, que já concedem o recesso de 15 dias para os professores. “O projeto que unifica o recesso em julho chega em boa hora, visto que o maior tempo de descanso reflete de maneira positiva nos resultados dentro de sala”, avalia.

O benefício será estendido à rede privada que também não tem o recesso de julho estabelecido por lei. “A aprovação vai melhorar a qualidade de vida dos professores que têm adoecido pelo excesso de trabalho”, diz Vanderley Quêdo, presidente do Sinpro-RJ, da rede particular.

Você pode gostar