Por bferreira

Rio - Professores de várias áreas devem ficar atentos ao término das inscrições para o concurso do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ). O período termina sexta-feira (dia 26) ou 16 de agosto, de acordo com o campus escolhido pelo candidato. Serão oferecidas 149 vagas e a remuneração inicial varia de R$ 1.914,58 a R$8.049,77, dependendo do regime de trabalho e títulos.

Cobiçado por muitos docentes, esse concurso costuma ser concorrido pois oferece, além da estabilidade, salários acima da média do mercado. Segundo Adriano Vieira, professor do curso preparatório Progressão, a instituição chama a atenção por ser reconhecida nacionalmente e oferecer instalações e laboratórios modernos que facilitam a prática do ensino com qualidade.

“A maioria dos candidatos às vagas do Cefet é de professores experientes com especialização na área de interesse. Ou seja, grandes concorrentes competindo por poucas vagas. Quem ganha com isso é, sem dúvida, o aluno dessa renomada instituição de ensino técnico”, avalia.

FOCO NOS ESTUDOS

Para sair na frente da concorrência, candidatos devem intensificar os estudos e investir na resolução de provas anteriores. Professor da Academia do Concurso, Carlos André Botelho Fonseca afirma que a quantidade de horas de estudos é relativa a cada candidato.

“O ideal é fazer um intervalo a cada duas horas, pois chega um momento em que o cérebro não aguenta mais estudar”, ensina. Para Adriano Vieira, o candidato que tem o hábito da leitura e prática de escrita sai na frente nesse tipo de seleção.

Prova pública de aula faz parte do processo seletivo

Apenas conhecer o conteúdo exigido nas provas do concurso não é suficiente para o candidato ser aprovado. A forma como o professor dá aula também será avaliada. Os sorteios para a prova de aula ocorrerão no período de 14 a 17 de outubro e os respectivos exames de 15 a 18 de outubro, nos locais indicados no momento do sorteio.

O professor Adriano Vieira explica que essa avaliação tem caráter classificatório e eliminatório, por isso é importante dar atenção à preparação.

“Logo que tiver ciência do assunto, o candidato deve preparar uma aula que busque comunicar com clareza e coerência o tema sorteado, para que dessa forma, a mensagem ali transmitida seja compreendida por todos os membros da banca examinadora”, explica o especialista. Além disso, ele ressalta que a aula deve ser clara, concisa, coerente e formal.

Para Carlos André Botelho Fonseca, o bom senso é fundamental no momento dessa avaliação. O candidato precisa demonstrar competência para lidar com os alunos e procurar ser o mais didático possível. “Não pode ser muito brincalhão, nem muito sério”, explica o professor.

Você pode gostar