Por bferreira

Rio - Em 2008, o Banco Central mudou a regra dos pacotes de serviços bancários do país. A medida visou coibir as cobranças exageradas das instituições bancárias pelos pacotes de serviços prestados aos clientes.

O Banco Central criou uma série de serviços gratuitos mensais (como cadastro, dez folhas no talão de cheques, quatro saques, dois extratos e duas transferências) e padronizou os demais pacotes para quem usa o banco com maior frequência e outros serviços. Agora, em 2013, cinco anos depois, uma pesquisa dos órgãos de defesa do consumidor constatou o que você já se deu conta: o custo de usar os serviços bancários só aumenta.

No período, a inflação oficial foi de 32,34%. Enquanto isso, as tarifas dos serviços bancários aumentaram, em média, 49%. Ou seja, pelos mesmos serviços de cinco anos atrás, você está pagando, hoje, um terço a mais. Na prática, as instituições não agregaram novos produtos ou vantagens no que oferecem aos correntistas.

Por isso, fica difícil entender e aceitar a razão do valor dos pacotes bancários aumentar muito mais do que a inflação anual. Por esta razão é recomendável sempre revisar, por meio dos extratos, o que você contratou com o seu banco. Verifique o seu pacote de serviços, veja o que ele lhe oferece e compare com o que você efetivamente usa.

Se você não usa por tudo que paga, é o momento de trocar de pacote e migrar para um mais em conta e economizar. Ser um cliente especial é pagar menos e não engordar os lucros dos banqueiros.

Professor de Finanças do Ibmec

Você pode gostar