Por bferreira

Rio - Representantes de aposentados e pensionistas voltam à mesa de negociação com o governo federal esta semana. Duas reuniões estão marcadas, uma amanhã e outra na quinta-feira, com ministros para tratar de temas como aumento dos benefícios de segurados que ganham acima do salário-mínimo (R$678), fim do fator previdenciário, criação da Secretaria Nacional do Idoso, além da inclusão de mais remédios na cesta de medicamentos do programa Farmácias Populares.

“Vamos insistir que o governo dê o mesmo aumento de 6,62% do salário mínimo para quem ganham acima do piso da Previdência”, afirmou o presidente da Confederação Brasileira de Aposentados (Cobap), Warley Martins.

Pelo Projeto de Lei Orçamentária (Ploa) encaminhado ao Congresso, o mínimo subirá de R$ 678 para R$722,90. Quem recebe mais terá apenas a previsão de inflação de 5,7%.

TRÊS MINISTROS

Amanhã pela manhã, o encontro será com representantes do Ministério da Saúde para debater planos de saúde. O objetivo é instituir mecanismos para evitar abusos contra os idosos que precisam de convênio médico.

Na quinta-feira, os sindicalistas serão recebidos pelos ministros Gilberto de Carvalho (Secretaria da Presidência da República), Maria do Rosário (Direitos Humanos) e Garibaldi Alves Filho (Previdência) para discutir o fim do fator, a política de desonerações da folha de pagamentos das empresas e a implantação e e recuperação dos valores dos benefícios previdenciários.

Você pode gostar