Sucesso nas finanças: Poupar ou gastar?

Ao receber um dinheiro extra, como o que vem da restituição do Imposto de Renda, o consumidor deve verificar se há dívidas pendentes e que sacrificam o orçamento familiar

Por O Dia

Rio - Ao receber um dinheiro extra, como o que vem da restituição do Imposto de Renda, o consumidor deve verificar se há dívidas pendentes e que sacrificam o orçamento familiar, a fim de evitar a incidência de juros e multas. Ao liquidar a pendência, seja com cartão de crédito ou no cheque especial, é a hora de decidir se os recursos que sobraram devem ser aplicados ou usados para antecipação das compras de fim de ano.

Por Jair Abreu Júnior

PERGUNTA E RESPOSTA

“Recebi minha restituição do Imposto de Renda, mas não tenho ideia do que devo fazer. Guardo o dinheiro na poupança, pago minhas dívidas ou antecipo as compras de Natal?”

Márcio, São Gonçalo

Independentemente de qual é o valor de sua restituição do Imposto de Renda (IR) e de quais condições dispõe para aplicação financeira, recomendo apurar a situação em que se encontra.

Você deve fazer levantamento criterioso dos recursos referentes a bancos, contas a receber e a pagar nos próximos quatro meses. Dessa forma será possível analisar com detalhes a realidade de sua situação financeira.

Outro aspecto a ser considerado deve ser a relevância das suas dívidas, ou seja, o quanto elas pesam no seu orçamento, pois sendo as despesas relevantes, recomendo usar o valor da restituição para saldá-las o quanto antes. Assim, você evita a incidência de juros e multas.

Em época pré-natalina é muito comum nos sentirmos motivados a fazer compras descontroladas, em função das facilidades de uso de cartões de crédito e débito e dos financiamentos oferecidos. Ao nosso redor, tudo converge nesse sentido. No entanto, cabe a cada um o exercício contínuo de resistir às idas ao shopping. Afinal, na maioria das vezes, cedemos à sedução das lojas, estrategicamente organizadas para atrair e convencer os consumidores a comprar.

Ressalto ainda que se as suas dívidas forem pequenas e fáceis de serem liquidadas, talvez seja interessante aplicar o restante de seus recursos financeiros disponíveis na caderneta. Nesse tipo de aplicação, você pode resgatar o dinheiro a qualquer momento e, com os rendimentos, mais recursos estarão disponíveis para você fazer as compras de fim de ano.

Jair Abreu Júnior é coordenador em Gestão Financeira da Universidade Estácio de Sá

Últimas de _legado_Economia