Digital & Tal: O veterano Mercado Livre

Há 18 meses, por exemplo, eram oito mil anúncios de imóveis no quinhão brasileiro do Mercado Livre. Hoje são 750 mil

Por O Dia

Rio - Há 18 meses, por exemplo, eram oito mil anúncios de imóveis no quinhão brasileiro do Mercado Livre. Hoje são 750 mil. Como assim? Ora, as empresas também estão embarcando nesse marketplace. Elas estão integrando seus sistemas ao do Mercado Livre, o que é possível graças à abertura da plataforma do site, que começou há dez meses.

Mas as pessoas físicas já estão lá há tempos. Uma pesquisa divulgada semana passada diz que 25% dos vendedores do ML no Brasil simplesmente largaram seus antigos empregos para ganhar a vida negociando online. Resultado: em 2012, seis milhões de cidadãos fecharam negócios com 17 milhões de compradores aqui no país. Tíquete médio: R$ 180.

É por essas e por outras que o Mercado Livre vale hoje US$ 5,7 bilhões. Mas quer mais. Foi por isso que reescreveu seu código-fonte para facilitar a integração de sua plataforma a quem interessar possa. Abrir a própria casa é outra boa sacada. Como se viu na recente compra da Nokia pela Microsoft, viver fechado, ignorando a integração de sistemas, é um risco que não vale a pena correr.

O negócio é espalhar-se. Para isso, aliás, o ML criou um fundo de US$ 10 milhões, a serem investidos na base de US$ 100 mil por empresa com bons projetos. A propósito: a seleção já começou.

Chefe da Tecnologia do ML, Daniel Rabinovich cita uma dica do Steve Jobs ao comentar sobre as novidades do marketplace: “Você tem que fazer as mudanças importantes quando estiver em um bom momento. Não tem que esperar que o mercado provoque a mudança. Um bom exemplo é a abertura da nossa plataforma, que era fechada, monolítica. Nada nos obrigava a isso, mas fizemos porque sabíamos que, se não fizéssemos naquele momento, a concorrência nos forçaria a isso”, diz ele.

Outro ponto importante para quem está no mercado. Ter autocrítica. “O mundo da tecnologia tem muitos casos de empresas excelentes que caem muito rápido porque não veem que o contexto mudou e ficam com medo de mudar”, lembra o Rabinovich.

Enfim, o veterano Mercado Livre está se mexendo, e sua ideia é estar ramificado em todos os cantos. Já consegue participar de quase todas as etapas de compra & venda de milhares de produtos. E já pensa em investir em uma nova: armazenamento e distribuição. Um grande passo, sem dúvida. E, certamente, uma possível dor de cabeça.

Últimas de _legado_Economia