Por bferreira

Rio - O dólar vem passando por períodos de muita variação nos últimos dias, a atingindo o maior valor em quatro anos. Ressalta-se, porém, que a compra da moeda não deve ser classificada como investimento, pois só deve ser feita por quem pretende assumir compromisso pautado na divisa. Investir em dólares é arriscado, até porque ainda não há uma tendência clara do que vai acontecer com a sua movimentação.

Por Jair Abreu Júnior

PERGUNTA E RESPOSTA

“Com o dólar no patamar atual é uma boa opção investir na moeda? Terei retorno satisfatório?”

Isabel, Méier

Isabel, um substituto mais adequado para o dólar seria o ouro, já que teoricamente é um ativo que não se desvaloriza nos mesmos padrões da moeda. O metal vem sendo procurado como reserva de valor em algumas cidades, como Dubai, nos Emirados Árabes, onde existem máquinas que vendem barras de ouro.

Para quem assumir dívidas em dólar, porém, é recomendado aplicar num fundo indexado à moeda ou euro, por exemplo, pois mesmo que a situação na Europa não esteja boa, é melhor ficar protegido de alguma forma. A tendência da divisa norte-americana tem sido de alta, pelo menos até agosto, e o Brasil está com muita demanda pelo dólar, já que os brasileiros gastam muito no exterior.

No momento, o cenário nacional não está claro para quem quer investir, pois a Bolsa sofre fortes oscilações de mercado, e os efeitos inflacionários são preocupantes. A valorização do dólar é circunstancial e instável, uma vez que, da mesma forma que pode subir, também é possível que ocorra o contrário, rapidamente. Esse não é um tipo de aplicação de ganho acumulativo, pois vive em função da oscilação que ocorre no mercado, sobre a qual não temos nenhum domínio.

Uma estratégia mais adequada para ganhar dinheiro com a alta do dólar seria investir em fundos multimercado. Com estimativa de que a moeda ainda tenha muito a crescer, recomenda-se estabelecer uma meta, e após o efetivo ganho, retirar da aplicação, porque a reversão da tendência é muito rápida.

Além do mais, como estratégia de investimento, nunca é aconselhável colocar todos os ovos na mesma cesta, certo?

Jair Abreu Júnior é coordenador em Gestão Financeira da Universidade Estácio de Sá

Você pode gostar