Escolha do grau da prova influencia na aprovação

Concursos para Nível Médio nem sempre são mais fáceis, pois costumam ser muito procurados. Já seleções para Nível Superior cobram conteúdo mais aprofundado

Por O Dia

Rio - A escolha do nível de escolaridade pode ser decisiva para a aprovação em concurso público. Para quem cursou o Ensino Superior, é importante avaliar quando pode ser mais vantajoso — ou não — se inscrever em vagas para cargos para Nível Médio.

Christiano e Thiago optaram por concorrer a cargos de Nível Médio. De acordo com eles%2C as provas para esse nível de escolaridade são mais fáceisDivulgação

Ao contrário do que se possa imaginar, nem sempre é mais fácil passar em seleções para cargos que não exigem formação universitária. Como a concorrência por vagas que pedem apenas o Ensino Médio costuma ser maior, acontece justamente o contrário: a dificuldade cresce.

Professora de Língua Portuguesa do Universo do Concurso Público, Camila Faro explica que a competição nesses concursos é alta porque as inscrições podem ser feitas por candidatos de níveis Médio e Superior. Ela aconselha: “É mais interessante optar por cargos que exigem formação universitária, pois, além de o número de inscritos ser menor, os salários costumam ser mais altos”.

Para Juarez Lopes, especialista em leitura dinâmica, o que determina a dificuldade de um concurso é a relação candidato-vaga. “Com mais concorrentes, aumentam as chances de haver mais pessoas capacitadas para a prova”, argumenta ele.

De acordo com Fernando Bentes, diretor do site Questões de Concursos, cada concorrente deve ter em mente qual tipo de exame atende melhor a seu perfil. “Se o estudante está no início da preparação, é melhor prestar prova para o Nível Médio. Mas, se já possui muito tempo de estudo, pode fazer prova para Nível Superior”, afirma.

Bentes explica que, além disso, se o candidato é melhor em questões de múltipla escolha, terá mais facilidade em provas de Nível Médio. Mas, se lida melhor com provas dissertativas, tem mais chances em concursos para Nível Superior.

Diferença das provas está na complexidade das questões

Fernando Bentes explica que, nos concursos para Nível Médio, as questões são diretas e objetivas. “O candidato deve conhecer definições corretas de institutos jurídicos e disciplinas de Humanas, em geral”.

Além disso, avisa ele, o concorrente deve ter capacidade de interpretação e comunicação em Português e resolver problemas elementares de Matemática e Raciocínio Lógico.

Já seleções para Nível Superior têm questões mais complexas. “Não adianta decorar nada. O candidato deve entender, explicar e aplicar o conteúdo em casos e problemas concretos”, diz Bentes.

De acordo com a professora Camila Faro, o conteúdo de Língua Portuguesa é praticamente o mesmo. “A diferença está na abordagem e no grau de dificuldade das questões”, esclarece ela.

O comerciante Christiano Monteiro, 40, tem formação universitária, mas concorre a uma vaga de Nível Médio no Banco Central. “Há poucos cursos que preparam bem para provas de Nível Superior”.

O segurança Thiago Cyrino, 27, por sua vez, vai concorrer a uma vaga de Nível Médio na Defensoria Pública. “Se for aprovado, vou continuar estudando”, diz.

Últimas de _legado_Economia