Por thiago.antunes

Rio - Semana passada, o Sebrae Nacional e o Ministério do Turismo anunciaram parceria, com investimentos de R$ 35 milhões, para intensificar a capacitação no setor de turismo e traçar diagnóstico das empresas. Levantamento do Sebrae mostra que a maioria desses empreendimentos — que incluem, além das pousadas e hotéis, empresas de transporte, serviços de catering, agências de viagem e operadores de turismo, entre outros — é formada em grande parte por empreendedores individuais, micro, pequenos e médias empresas, que somam 785,2 mil no país.

Leonardo Barroso diz que o trabalho em parceria com a entidade ajuda as pequenas empresas a reduzir custosCarlo Wrede / Agência O Dia

No Rio, o Sebrae local também desenvolve Projeto da Gestão Turística e Sustentável dos Meios de Hospedagem, para difundir e consolidar boas práticas de sustentabilidade. Vanessa Cohen, analista responsável pelo programa, explica que as pequenas empresas precisam se capacitar para ter maior competitividade, diante da entrada de grandes players no país e a crescente procura de turistas por cidades como o Rio.

“Os principais pontos envolvem melhoria de estratégias, controle de finanças, criação de processos. É fundamental para o desenvolvimento de pequenos negócios”, afirma.

Um dos setores que vem crescendo é o de hospedagem em albergues e hostel. O Sebrae/RJ fechou parceria com a Associação de Cama e Café e Albergues do Estado do Rio de Janeiro, criada em julho e hoje com 22 associados. Leonardo Barroso, que preside a entidade e é dono de dois hostels no Rio, diz que o trabalho em parceria com a entidade ajuda as pequenas empresas a reduzir custos, sobretudo com fornecedores, a partir de compras coletivas.

“Além desse trabalho, temos pela frente novos desafios. Um deles é a classificação dos albergues, tal como acontece com os hotéis. Queremos preparar proprietários de meios de hospedagem para terem acesso a novos mercados”, diz.


Reportagem de Érica Ribeiro

Você pode gostar