Por tamyres.matos

Rio - A gente sabe há tempos que boa parte dos prestadores de serviços no Rio tem um comportamento vergonhoso diante do cliente. Mas a tecnologia pode ajudar a nos livrarmos dos maus profissionais. Como? Assumindo que somos uma espécie privilegiada de consumidores, com acesso a ferramentas que podem nos ajudar a virar esse jogo. Hoje, botar a boca no trombone significa compartilhar nas redes o que você encontre por aí que mereça ser registrado — para o bem ou para o mal.

Cooperativas de táxis, por exemplo. Pode parecer implicância, mas não tem uma vez que eu não me decepcione com a AerosDumont e seus motoristas. É só comigo ou acontece com vocês também? Por conta disso, andei testando, usando e abusando de algumas “cooperativas virtuais”. Elas se valem de aplicativos em smartphones, pelos quais os usuários pedem um táxi, obtendo rapidamente a resposta dos motoristas mais próximos. Pode até parecer coisa de gringo, mas tem funcionado.

Por aqui, o sistema começou ano passado, com a Taxibeat. Inicialmente arredios ao uso de ‘tanta’ tecnologia, muitos taxistas sequer tinham smartphone, mas acabaram seduzidos pela ideia de saber que haveria clientes esperando por eles na rua ao lado, garantindo o leite das crianças.

Deu certo, porque os motoristas descobriram que, agora, têm uma reputação a zelar. Os passageiros podem avaliar diversos aspectos sobre a corrida — incluindo pontualidade, estado do carro, gentileza e honestidade do condutor etc etc. Cria-se um ranking que, no fim das contas, eleva a qualidade geral do serviço. Os maus profissionais acabam sendo preteridos ou, até mesmo, postos para fora da comunidade. Aliás, os clientes também podem ser avaliados pelos motoristas. Hoje são 15 mil taxistas cadastrados, entre Rio e São Paulo.

Mas cabe, então, a pergunta: o que a Taxibeat ganha com isso? São R$ 2 que o motorista fica devendo à empresa por corrida (tudo registrado e cobrado, claro). A TaxiBeat ainda não divulga por quantas viagens ela é responsável, mas alega que seu aplicativo já teve mais de 200 mil downloads aqui no Brasil, o que não deixa de ser um parâmetro interessante. Não por acaso, outros serviços semelhantes estão nas ruas — o que é bom para o consumidor.

SaferTaxi, EasyTaxi, Taxijá, ZipTaxi, 99Taxis, WayTaxi, ResolveAí... Como disse, testei alguns deles. Funcionam. Vida longa para todos.

Você pode gostar