Escola particular ficará 11% mais cara no ano que vem

Boletos de matrícula já antecipam o reajuste, puxado pela inadimplência que chega a 20%

Por O Dia

Rio - As mensalidades das escolas privadas do Município do Rio vão ser reajustadas entre 9% e 11% em 2014. Isto porque o segmento tem enfrentado inadimplência em torno de 20% ao mês, ou seja, em uma escola com 100 alunos, 20 são de famílias que não pagam em dia, segundo o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Rio (Sinepe), Victor Mauricio Nótrica.

Ele explicou que cada unidade é independente quanto às suas planilhas de custos, portanto, o reajuste não será definido em assembleia, mas a elevação terá como base compromissos como a folha de pagamento, gasto com com energia, água, material de escritório e de limpeza, entres outros itens.

Poliana Souza paga R%24 700 de mensalidade da creche do filho. Valor poderá aumentar R%24 77 em 2014Fernando Souza / Agência O Dia

Com relação à inadimplência, Nótrica frisou que como os estudantes não podem ser prejudicados por conta do débito dos pais, continuam matriculados até o fim do ano letivo. Em dezembro, parte das famílias acerta as mensalidades, fazendo os atrasos reduzirem aproximadamente 5%.

FOLHA E TRIBUTAÇÃO

Para bancar a folha, disse, as escolas buscam empréstimos bancários a juros altos, mas a multa que os pais pagam pelo atraso é de apenas 2%. “Esta situação compromete a saúde financeira dos estabelecimentos ”, frisou, complementando que a carga tributária para o segmento também é considerada inadequada.

Nótrica ressaltou que o setor paga 5% de Imposto Sobre Serviços (ISS). “Assim que a instituição emite a nota, mesmo para as famílias em débito, é recolhida a porcentagem em cima do valor. O ideal seria recolher imposto sobre o faturamento”, destacou, informando que o governo deveria desonerar o segmento.

Aumento real pode ser de até 4,82% devido inflação

A estimativa para a inflação acumulada de janeiro a dezembro de 2013 é de 5,9%, aproximadamente. Se o índice fechar neste patamar e ante a previsão de o reajuste das escolas ser de 11% para 2014, as mensalidades apresentarão aumento real de 4,82%, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) teve alta de 0,38% na primeira prévia de outubro, variação que é 0,08 ponto percentual acima da registrada no fechamento de setembro (0,30%). Quatro dos oito grupos pesquisados apresentaram acréscimos, com destaque para alimentação que subiu de 0,14% para 0,41%.

O Sindicato das Escolas Particulares do Rio estima que existam 50 mil alunos nas unidades sindicalizadas da rede particular. “No estado são cerca de 250 mil estudantes distribuídos em pouco mais de duas mil escolas”, disse Nótrica.

Educação é a despesa que mais pesa no orçamento

A advogada Marta Gravatá, 47 anos, revela que o custo de manter os dois filhos na rede particular chega a R$4 mil por mês. Ela afirma que esta é a despesa que mais pesa no orçamento.

“É uma luta para pagar. Temos que trabalhar demais para proporcionar educação de qualidade a eles”, disse, acrescentando que estranha o fato de os valores serem corrigidos acima da inflação.

Inclusive, em caso de reajuste em 11%, Marta vai pagar R$ 4.440 mil a partir de janeiro de 2014. A produtora de moda Poliana Souza, 22, se diz dividida em relação ao assunto. Apesar de pagar um valor que considera elevado, afirma que vê resultado na educação do filho de 1 anos e três meses.

“Desde que o Benjamin entrou na creche, tem mostrado mais interesse em tentar se comunicar, fazendo gestos e tudo”, disse. Mas ressalva: “Acho que R$ 700 é muito dinheiro.”

Últimas de _legado_Economia