Copa faz valor da passagem de avião subir em 2014

Em junho, tarifas entre Rio e São Paulo são superiores aos de voos internacionais

Por O Dia

Rio - Com a Copa do Mundo do ano que vem no Brasil, quem quiser comprar passagens aéreas do mercado doméstico antecipadamente já constata alta de preço. Pesquisa do DIA feita ontem constatou que os valores para trecho internos estarão iguais ou superiores do que os bilhetes internacionais. O trajeto Rio-São Paulo, por exemplo, pré-agendado para 12 de junho do próximo ano, na abertura do Mundial, e com retorno para o dia seguinte, foi cotado a R$ 700 na companhia Azul,a R$ 1.200 com a GOL e a R$1.400 pela TAM.

Ao comparar com os preços da passagem ida e volta para a Argentina, o consumidor vai pagar aproximadamente R$ 1 mil, enquanto o trecho para Curaçao, no Caribe, custa R$ 1.900. As três companhias citadas informaram que os preços seguem a lógica do mercado: a procura determina a oferta.

OPÇÃO POR ÔNIBUS

Em função disso, outra possibilidade para quem pretende acompanhar jogos da competição promovida pelo Fifa pode ser viajar de ônibus para outros estados. Segundo a Associação Brasileira de Transportes Terrestres e de Passageiros (Abrati), o eixo Rio-São Paulo sai entre R$ 80,80, para quem for usar usa o ônibus convencional, e R$108,75, o com leito.

A entidade informou, no entanto, não poder fazer uma previsão para o período da Copa. Informou que os preços dos bilhetes devem aumentar, mas não no mesmo patamar dos cobrados pelas aéreas.

Sorteio das chaves ainda definirá voos

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) disse à reportagem que ainda ocorrerão mudanças na oferta de voos por conta do sorteio das chaves e definição dos locais dos jogos. “Também há tratativas sobre o assunto entre a Secretaria de Aviação Civil, empresas aéreas e Fifa”, informou em nota.

Professora da rede estadual de São Paulo, Rosana Solera, 48 anos, disse que faz o trajeto Rio-SP rotineiramente, em decorrência da filha morar na capital fluminense. “Esse trecho é, normalmente, bem caro. Estou sempre de olho no preço das passagens e percebo uma flutuação muito grande nos valores”, ressaltou.

Últimas de _legado_Economia