Por bferreira

Rio - Você leu aqui no DIA do último domingo que o Instituto Igarapé acompanhou durante três meses a movimentação dos black blocs no Facebook. Para isso, revirou 74 mil posts, 160 mil comentários e 1,45 milhão de likes (‘curtidas’) em 42 perfis relacionados ao grupo. Pois bem: apesar dos números generosos, o estudo não tem como determinar o total de fás do BB espalhados pelo país. Afinal, você pode curtir e interagir em vários dos perfis, mascarando o resultado real.

Black Blocs no Face%3A Onda passageira%3FArte: Hippertt

Outro ponto importante é que, unicamente pela análise via Facebook, fica muito difícil, ou praticamente impossível, saber quais dos participantes teriam sido infiltrados ali por polícia ou por políticos — o que, de certa maneira, é quase a mesma coisa, considerando que polícia é igual a Estado, sob batuta política... O estudo não vasculhou os perfis pessoais de cada um dos seguidores ou “curtidores” dos BB no Facebook. É uma questão de ética.

Além disso, os pesquisadores identificaram também que boa parte dos fãs do BB fez pequenas intervenções nos perfis, ou contribuiu apenas clicando no botão “Curtir”. Será que todo esse movimento será uma onda passageira? Ou haverá uma ligação de longo prazo? O tempo vai responder.

A propósito, o Instituto Igarapé faz questão de deixar claro que é uma organização apartidária.

Como se sabe há tempos, não existe almoço grátis

Muita gente protestando contra o Google, que decidiu que poderá usar em publicidade os nossos comentários e fotos feitos no Google+, caso estejamos falando bem de algum de seus anunciantes. É feio mesmo. Ao mesmo tempo, ficam pelo menos duas perguntas: ainda temos algo a esconder? E quanto será que vale o seu comentário?

Nintendo comemora sucesso do Pokemon

Lançados sábado passado, os games “Pokemon X” e “Pokemon Y” venderam quatro milhões de unidades em dois dias. A Nintendo nunca viu sucesso tão repentino no mundo do 3DS, com as imagens em 3D do Pikachu & Cia. A garotada fica simplesmente viciada. Por aqui, cada um dos jogos está saindo a R$ 150.

Os pássaros endiabrados atacam novamente

A julgar pelo vídeo (veja abaixo), vai ser um sucesso o novo game da Rovio com os “Angry Birds”. Os endiabrados pássaros estão agora motorizados, disputando provas frenéticas. Vale tudo. Os porquinhos, claro, continuam sendo os vilões. Estará disponível gratuitamente a partir de 11 de dezembro, para iOS, Android e afins.


Arquivos externos

Na calada do último domingo, mui discretamente, a presidente Dilma anunciou via Twitter que o Serpro está criando um sistema de e-mail exclusivo para uso do governo federal. Está deveras preocupada com privacidade, principalmente depois que ficou sabendo que os EUA fuxicam o correio de todo mundo. Como a bronca no Obama, em plena ONU, não adiantou nada, o jeito é apelar para o “Expresso”, o sistema Made in Brazil. Será que dá certo? Conseguiremos barrar o exército de milhares de ciber-soldados americanos, interessadíssimos não nas fofocas, mas em negócios estratégicos de empresas e governos? O tempo dirá. Disse Dilma: “Determinei ao Serpro a implantação de sistema seguro de e-mails em todo o governo federal. Esta é a primeira medida para ampliar a privacidade e a inviolabilidade de mensagens oficiais. É preciso mais segurança nas mensagens para prevenir possível espionagem" (sim, a presidente usou mais de um tuíte para contar a novidade). Já comentamos por aqui: o presidente Vladimir Putin, há alguns meses, encomendou cerca de 30 máquinas de escrever, das antigas, de fabricação alemã. Segundo o “The Guardian”, estão sendo usadas nas mensagens entre Putin e assessores. Um retrocesso, eventualmente, é necessário. Tudo em nome da segurança nacional. Na minha já anunciada arrumação de fim de ano, desencavei uma “Info Exame” de junho de 2000. Capa: “Morte da privacidade?”. Como se vê, o assunto continua em alta.

Você pode gostar