Por bferreira

Rio - As regras do seguro-desemprego devem sofrer nova alteração. O governo federal analisa a proposta de começar a exigir curso de qualificação profissional logo no primeiro pedido do benefício de trabalhadores que perderam o emprego. Hoje, o curso deve ser feito apenas na segunda vez que o empregado dá entrada no auxílio em um período de dez anos. A carga horária mínima é de 160 horas.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou ontem que a medida ainda será negociada com as centrais sindicais. A proposta seria uma forma de controlar gastos com o pagamento do seguro, alvo de tentativas de fraudes, como no caso em que as empresas demitem os funcionários, mas os mantêm trabalhando com salários menores enquanto os profissionais recebem o seguro do governo.

PIOR DESEMPENHO

Ontem, o governo anunciou que a diferença entre receitas e despesas primárias ficou negativa em R$ 10,5 bilhões em setembro, o pior desempenho para o mês desde 1994.

Você pode gostar